Prefeito de Alto Araguaia (MT) anuncia parceria com a Editora Opet

EDUCAÇÃO PÚBLICA

De 04 a 08 de fevereiro, a rede municipal de ensino de Alto Araguaia (MT) promoveu sua semana pedagógica. Lá, o momento de encontro com professores e gestores também foi marcado pelo anúncio, feito pelo prefeito Gustavo de Melo Anicezio, da adesão aos materiais e formações pedagógicas da Editora Opet para a Educação Infantil 04 e 05 (Pré I e Pré II).

“Todas as escolas da Educação Infantil irão receber o material, assim como os pais. Haverá ainda agenda do professor onde pais e professores trocarão informações em relação a educação do filho na escola”, explicou o prefeito. Em 2019, Alto Araguaia vai a adotar a Coleção Entrelinhas Para Você, do selo educacional Sefe.

entrelinhas para você
Capas da Coleção “Entrelinhas para Você”, que será adotada por Alto Araguaia

A secretária municipal de Educação, Paula Niedermeier Fraga, explica que a rede municipal não trabalhava com um sistema de ensino, e que a escolha dos materiais foi feita com base em critérios técnicos. “Conhecemos os materiais e os enviamos para as escolas. As equipes nos enviaram relatórios com algumas observações. A maioria optou pela adesão ao sistema de ensino.”

Paula Niedermeier Fraga (Crédito: ASCOM Alto Araguaia)

A expectativa da secretária é de que a parceria com a Editora Opet alavanque a educação em Alto Araguaia. “Os materiais vão servir como um norte para os professores. Como não tínhamos coleções como a que estamos adotando, nossos professores precisavam desenvolver seus próprios materiais. A partir de agora, eles vão poder dedicar mais tempo às crianças”, observa Paula, que também destaca a importância da implantação e das formações pedagógicas.

 

Em breve, a equipe de assessores pedagógicos da Editora Opet estará no município para fazer a implantação e iniciar o trabalho de assessoramento.

Editora Opet

Fundada em Curitiba no ano de 1993, a Editora Opet é uma das mais tradicionais desenvolvedoras de sistemas de ensino no Brasil. Com o selo educacional Sefe – Sistema Educacional Família e Escola, está presente em municípios de todo o país. Entre os parceiros Opet estão municípios como Sobral – que possui a melhor educação pública do Brasil –, Fortaleza, Paranaguá (PR) e Santana de Paranaíba (SP).

Editora Opet promove formação pedagógica para 350 profissionais em SC

Um grupo de 350 profissionais de educação, entre professores, diretores, coordenadores pedagógicos, secretários e equipes das secretarias municipais, participaram nessa quinta e sexta-feira (31 e 01º), em Treze Tílias, da primeira formação pedagógica regional do ano em Santa Catarina. O trabalho envolveu as equipes de Treze Tílias, Arroio Trinta, Salto Veloso e Macieira, e foi promovida em parceria com a Editora Opet. Os quatro municípios são parceiros da Editora Opet e utilizam os materiais do selo educacional Sefe em diferentes níveis da educação.

As atividades foram realizadas na Escola Municipal Irma Filomena Rabelo e coordenadas por uma equipe de assessores pedagógicos vinda de Curitiba, sede da Editora Opet. A formação pedagógica abrangeu os temas e os conteúdos dos dois primeiros bimestres do ano da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, Educação Física, Arte e Língua Inglesa. No caso dos gestores, eles tiveram como tema formativo “Avaliação nos diferentes níveis e contextos: reflexão acerca do papel da equipe gestora”.

Sinergia – “Formações regionais aproximam profissionais de municípios vizinhos que utilizam os mesmos materiais e ferramentas didáticos. Isso produz sinergia, troca de informações e de experiências. É algo que soma muito ao trabalho das escolas”, observa o coordenador regional da Editora Opet para Santa Catarina, Nelson Bittencourt.

O secretário municipal de Educação de Arroio Trinta, Juliar Manenti, ressalta a importância dessa troca. “Além de permitir o intercâmbio de experiências entre municípios vizinhos, a formação também fortalece a busca de soluções regionais para a educação, o que é muito importante.” Segundo Juliar, o maior desafio deste ano da educação em seu município é fortalecer a educação para avançar na avaliação do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). O secretário explica que Arroio Trinta já tem um dos maiores índices do IDEB em Santa Catarina – 7,0 –, mas que pode e deve melhorar com ações de qualidade. “O sucesso depende de vários fatores. Um deles é a parceria com a Editora Opet, que já provou seu potencial ao longo dos anos de trabalho com o nosso município”, observa.

A secretária municipal de Educação de Salto Veloso, Ariane Spanholi Vigolo, participou da formação de gestores. “É muito gratificante trazer a nossa equipe para essa formação e participar das atividades. O resultado é muito bom.” Ela destacou a importância da troca de experiências e olhares entre os municípios. “Por mais que os municípios sejam vizinhos e usem os mesmos materiais didáticos, eles têm seus próprios olhares e aspectos culturais locais. Aqui, fazemos uma troca desses valores e formamos uma cultura educacional regional.”

Ariane observa que, em 2019, um dos grandes desafios em Salto Veloso é fortalecer o trabalho com as novas tecnologias, com projetos que fortaleçam seu uso em favor da educação. “E nós contamos com o apoio da Editora Opet nesse trabalho.”

Braços abertos – A secretária municipal de Educação de Treze Tílias, Mari Piaia, se disse muito feliz em acolher os participantes da formação regional. “Recebemos todos de braços abertos, com muito carinho. É muito bom ter as equipes dos municípios e do Sefe conosco.” Ela avalia a parceria com a Editora Opet, que existe desde 2017, como excelente. “Os familiares das crianças da Educação Infantil, que atendemos com os materiais Sefe, acolheram muito bem o trabalho e se aproximaram da escola. Isso é muito importante para o desenvolvimento da educação.”

A coordenadora pedagógica da secretaria municipal de Educação de Macieira, Cristiane Turmina, avaliou a formação como excelente. “Como em todas as formações regionais de que participamos, a qualidade é muito boa. Só posso dizer que temos uma grande parceria com a Editora Opet.” Segundo Cristiane, entre os desafios da educação de Macieira neste ano está o fortalecimento do IDEB.

Editora Opet – Em Santa Catarina, a Editora Opet está presente no dia a dia da educação de dez municípios, levando materiais didáticos e paradidáticos, implantações, formações e assessoramento pedagógico.

Sobral e Editora Opet ampliam parceria na educação municipal

Em 2019, os 2.500 estudantes do segundo ano do Ensino Fundamental da rede municipal de ensino de Sobral vão utilizar os materiais didáticos desenvolvidos pela Editora Opet. A parceria para o repasse das coleções didáticas, formações e acompanhamento pedagógico foi assinada ontem (quinta-feira, 25) pelo prefeito municipal, Ivo Gomes, e pela superintendente da Editora Opet, Cristina Swiatovski. A assinatura contou com a participação do secretário municipal de Educação, Francisco Herbert Lima Vasconcelos.

Desde o ano de 2018, Sobral utiliza os materiais da Editora Opet para a primeira etapa da Educação Infantil, mais exatamente os anos iniciais (Infantil Bebê e Infantil I). Essa parceria, que também inclui a formação e acompanhamento pedagógico dos professores, atende 730 crianças e suas famílias, que adotam os livros da “Coleção Primeira Infância (+0)”, material finalista do Prêmio Jabuti.

“Ao todo, em 2019 a parceria vai atender 3.230 estudantes. Ficamos muito felizes em participar da educação de Sobral, que ensina tanto ao país, e de colaborar para que ela avance ainda mais”, disse a superintendente da Editora Opet, Cristina Swiatovski.

O prefeito Ivo Gomes, a superintendente Cristina Swiatovski e o secretário Francisco Herbert Lima Vasconcelos durante a assinatura da parceria entre Sobral e a Editora Opet.

A Editora Opet é parte do Grupo Educacional Opet, fundado em Curitiba no ano de 1973. Atualmente, suas coleções de materiais didáticos e paradidáticos estão presentes em escolas públicas e privadas de todo o país – apenas na área pública, são atendidos 120 municípios de 17 Estados (75 mil estudantes do Ensino Fundamental). As parcerias abrangem a oferta de coleções didáticas e paradidáticas, que chegam às escolas apoiadas por um trabalho pedagógico sério e dedicado. Ele inclui a implantação dos materiais e a formação pedagógica dos docentes, além do acompanhamento e do diálogo permanente com os gestores.

No Ceará, por meio do selo educacional Sefe, a Editora Opet participou ativamente do Programa de Alfabetização na Idade Certa (PAIC) e, hoje, desenvolve um trabalho importante com os professores de Fortaleza. A parceria com a capital do Ceará foi firmada em 2013 e atende 32 mil estudantes da Educação Infantil (níveis 04 e 05) e do Ensino Fundamental (2º ano) com coleções de livros, formações e assessoramento pedagógico de docentes e gestores.

As Coleções – Em Sobral, o trabalho com a Educação Infantil utiliza os materiais da “Coleção Primeira Infância: Eu na escola + 0 e Eu na escola + 1”, que apresenta um olhar especial para a primeira etapa da educação. Além de reforçar os laços entre as famílias e as instituições educativas, os livros trazem propostas de vivências e proporcionam o registro das experiências vividas pelas crianças na instituição educacional, de forma a construir um portfólio com textos, imagens e músicas que criam um ambiente rico em experiências e brincadeiras. Para os educadores, oferece materiais que os levam à reflexão sobre o trabalho pedagógico com crianças bem pequenas, oferecendo práticas voltadas para a criança com a participação da família.

Capa do material da “Coleção Primeira Infância +0”, que é utilizado pelas crianças dos níveis Infantil Bebê e Infantil I.

No caso dos professores e estudantes do 2º ano do Ensino Fundamental, serão adotados os livros da “Coleção Caminhos e Vivências”, composta por livros didáticos e de apoio que contemplam os componentes curriculares obrigatórios para esta etapa da educação: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História, Geografia e Arte. As propostas de ensino permitem o trabalho interdisciplinar, preservam a especificidade de cada componente curricular e observam os Elementos Conceituais e Metodológicos para Definição dos Direitos de Aprendizagem e Desenvolvimento do Ciclo de Alfabetização do Ensino Fundamental.

Capa do material da “Coleção Caminhos e Vivências”, que será utilizado pelos estudantes do 2º ano do Ensino Fundamental.

 

Confira os vencedores do 8º Prêmio Ação Destaque!

Foram três dias muito importantes para a Editora Opet e seu selo educacional da área pública, o Sefe. Entre 17 e 19 de outubro em Curitiba, dentro do VI Seminário Nacional de Gestores Municipais, realizamos a etapa final do 8º Prêmio Ação Destaque, que valoriza projetos desenvolvidos por professores e gestores de municípios parceiros Sefe.

Foram 25 apresentações dos finalistas – selecionados entre mais de 200 trabalhos de todo o país – que inspiraram e emocionaram a todos.

Os professores e gestores finalistas do 8º Prêmio Ação Destaque

Confira a lista com os trabalhos premiados:

Categoria 01 – “Relação Família-Escola”

1º lugar – Francisca Bogarin de Souza, Ponta Porã/MS – “Família e Escola juntas na tarefa de educar”

2º lugar – Tatiani Chagas Alberto, Cambará/PR – “Escola de Responsáveis”

3º lugar – Samara Amaral Câmara Zepptella, Fortaleza/CE, “Clube de pais: faço parte desse coletivo”

Categoria 02 – “Educação Infantil 01 a 03”

1º lugar – Vânia Ferronatto, Arroio Trinta/SC – “Escola + Família = Sucesso”

2º lugar – Silvana Bolzon, Arroio Trinta/SC – “Um olhar diferenciado para a primeira infância”

Categoria 03 – “Educação Infantil 04 e 05”

1º lugar – Gicelda Rigo Froehlich, Treze Tílias/SC – “Da sala para fora e vice-versa”

2º lugar – Rubielly Nunes Budziak, Rio Azul/PR – “Entre pequeninos e grandões”

Categoria 04 – 01º ao 03º anos

1º lugar – Cristiana Alves da Silva, Santana de  Parnaíba/SP – “Matemática não é bicho papão”

1º lugar – Katia Rodrigues de Moura, Santana de  Parnaíba/SP – “Criativamente”

Categoria 05 – 04º e 05º anos

1º lugar – Eliza de Biazi Gustmann, Vargeão/SC – “Povos Indígenas: desconstruindo estereótipos”

2º lugar – Marili Moreira Lopes, Paranaguá/PR – “Literaturando: literatura por ando”

3º lugar – Eliane Aparecida Zenaro Ribeiro, Passos Maia/SC – “Fábulas: a Importância da leitura na família”

Categoria 06 – 06º ao 09º anos

1º lugar – Tiago La Serra Boneberg, Santana de Parnaíba/SP – “Jogando e aprendendo: as nações indígenas e ruptura do senso comum”

2º lugar -Luciana M artines do Nascimento, Santana de Parnaíba/SP – “Rebuliço de mitos e lendas: uma viagem fantástica”

Categoria 07 – “Arte”

1º lugar – Ana Cláudia Monari, Chapecó/SC – “Entre retratos e autorretratos: eu sou assim”

2º lugar – Kátia Raquel Dotta, Salto Veloso/SC  – “Entre pontos e texturas: a arte no caminho da aprendizagem”

Categoria 08 – Educação Física

1º lugar – Viviane Thiel Cardoso, Chapecó/SC – “Quem luta não briga: construindo uma escola sem bullying”

2º lugar – Sônia Roberta Bento, Cabreúva/SP – “Alimentando-se bem”

Categoria 09 – Inglês

1º lugar – Fabio Gonçalves Fernandes, Entre Rios do Oeste/PR – “English farm”

2º lugar – Cristiane de Carvalho Aguiar dos Santos, Paranaguá/PR – “Multicultural clothing: diversidade multicultural”

Categoria 10 – Gestão Escolar

1º lugar – Ana Paula Pedrina Spada, Cambará/PR – “Ressignificando caminhos para a educação”

2º lugar – Aline Bazzo, Salto Veloso/SC – “No caminho da gestão: possibilidades de partilhar e construir conhecimentos”

3º lugar – Angela Maria Ribeiro Serafini, Fraiburgo/SC – “O Papel do pedagogo itinerante nos centros de Educação Infantil de Fraiburgo”

Categoria 11 – Educação Ambiental

1º lugar – Franciele Gonçalves, Paranaguá/PR – “Cuidar da terra é tarefa de todos”

Categoria Sefe Indica

1º lugar – Maria Gabriela Cremm Silva, Santana de Parnaíba/SP – “Humanizando formadores, formando seres humanizados!”

 Parabéns!

 

Prêmio Ação Destaque: o reconhecimento do trabalho dos professores e gestores

Nas próximas quarta, quinta e sexta-feira (17 a 19), dentro do VI Seminário Nacional de Gestores, o Sefe realiza a etapa final e a premiação do 8º Prêmio Ação Destaque, dirigido a professores e gestores parceiros da Editora Opet na área pública. O prêmio espelha a qualidade das nossas parcerias e, principalmente, nosso respeito ao trabalho dos professores e gestores. Para falar sobre o Prêmio, conversamos com uma de suas idealizadoras, a gestora pedagógica da Editora Opet, Caren Helpa. Confira!

Entrevista a Rodrigo Wolff Apolloni

Quando surgiu e qual foi a ideia que deu origem ao Prêmio Ação Destaque?

Caren – A ideia surgiu no ano de 2010. Foi uma iniciativa da equipe de assessores do Sefe – na época, éramos somente seis, para os quase trinta que temos hoje – e  tínhamos uma inquietação em relação ao trabalho que os professores realizavam nas escolas. A gente conhecia esse trabalho nas formações e durante as visitas às escolas, víamos trabalhos de muita qualidade e queríamos que eles pudessem ser divulgados. Então, em uma roda de conversa, imaginamos fazer um evento em que esses professores pudessem vir a Curitiba para contar suas práticas. Então, o prêmio veio de uma ideia muito simples, inicialmente muito pequena – a primeira edição foi para sessenta pessoas -, com a perspectiva de divulgar boas práticas. Depois, ao longo do tempo, fomos ampliando, transformando aquela ideia inicial em um concurso, com uma premiação, que ganhou corpo e se tornou mais relevante até chegar ao modelo que temos hoje, de enaltecer, divulgar, reconhecer e valorizar a prática de professores e gestores.

Na edição de 2018, quantas e quais são as categorias do Prêmio Ação Destaque?

Caren – Nós temos onze categorias que contemplam todos os materiais que compõem o Sefe: desde a Educação Infantil até o 9º Ano do Ensino Fundamental, acrescido dos componentes curriculares Arte, Educação Física e Inglês, e o material de Educação Ambiental [a Coleção Meu Ambiente, produzida em parceria com a Fundação O Boticário de Proteção à Natureza] que ganhou uma categoria especial pelo nosso desejo de mobilizar este trabalho nas escolas. Além dessas onze categorias, temos a categoria “Sefe Indica”, que não é prevista no regulamento, mas que tem a intenção de divulgar um trabalho que extrapola aquilo que pensamos em  termos de educação. Então, quando há um trabalho muito singular, muito significativo e que a gente acha que pode ser transposto a outros contextos escolares, dizemos que o “Sefe indica” – a gente indica e recomenda aquela prática. No total, então, o prêmio contempla doze categorias.

Como funciona a avaliação dos trabalhos?

Caren – Temos uma equipe de pareceristas formada pela equipe de assessoria do departamento pedagógico e por autores das coleções. Cada trabalho é avaliado por dois profissionais e, destas duas avaliações, tiramos uma média. Os trabalhos que têm as maiores pontuações tornam-se finalistas. E eles também devem atender os critérios previstos no regulamento: contemplar inicialmente a relação com o material, a nossa prática teórico-metodológica e, depois, o impacto do trabalho sobre a comunidade, a transformação que ele desencadeou. Esses são alguns dos critérios de avaliação.

Como você vê o olhar dos professores e dos gestores para o Prêmio Ação Destaque?

Caren – Sobretudo, eles veem como um reconhecimento. Em todas as edições do Prêmio Ação Destaque eles verbalizam isso. Que o maior ganho, além da aprendizagem das crianças – o primeiro foco do que fazemos -, é o reconhecimento do seu trabalho, porque muitas vezes eles não se sentem reconhecidos ou não vislumbram o potencial deste trabalho. Ao participar do Prêmio e do Seminário, eles se sentem reconhecidos, ficam sensibilizados, instigados, inclusive, a pensar em outros projetos e outras ações.

De que forma os trabalhos finalistas e premiados refluem sobre o nosso próprio trabalho? De que forma eles nos inspiram?

Caren – De muitas maneiras! Em uma primeira instância, eles materializam aquilo que vivenciamos nas formações. Então, como equipe, esse é o primeiro ganho. A gente vê nos trabalhos aquilo que trabalhamos nas formações. O professor consegue fazer essa transposição didática. Em segundo lugar, serve como inspiração para outros professores. O que nós percebemos historicamente: um município tem um professor finalista; quando ele vem a Curitiba e vivencia esse momento do Seminário, ele inspira e incentiva outros professores. Ele vai lá e diz “Gente, é possível! Eu fui, me apresentei e as pessoas vieram perguntar do meu trabalho!” – então, isso serve como inspiração. E, no ano seguinte, aquele mesmo município inscreve vários trabalhos porque as pessoas se sensibilizaram. Então, de fato, é uma prática social que se repensa e se refaz a partir dos professores finalistas.

Qual o grau de inspiração dos trabalhos finalistas deste ano?

Caren – A gente diz que é cada vez mais difícil avaliar. Isso porque os trabalhos estão vindo cada vez mais contextualizados, mais qualificados, mais embasados teoricamente, mais perto daquilo que a gente pensa em termos de educação. Então, é cada vez mais difícil avaliar, mas a cada ano é mais inspirador. A gente acredita na educação e em seu poder transformador. O Prêmio reforça nosso encantamento pelo trabalho.

 

Formação de professores em Juazeiro do Norte movimenta mais de 300 pessoas.

A formação de professores promovida pela equipe da área pedagógica da Editora Opet movimentou a cidade de Juazeiro do Norte. Foram mais de 200 professores e diversos gestores educacionais que presenciaram um novo modelo de educação.