Editora Opet reúne professores de seis municípios de SC para formação pedagógica regional em Curitiba

Professores trocaram experiências e focaram no material didático Sefe

 

Uma jornada para o conhecimento tendo como elementos a cidade de Curitiba, a formação pedagógica, o contato e a troca de ideias com profissionais de ensino de outras realidades. Assim foi a segunda edição da Formação Pedagógica Regional de Santa Catarina, promovida nesta semana (no domingo e segunda-feira) pela Editora Opet na capital paranaense com professores e gestores dos municípios parceiros catarinenses de Arroio Trinta, Fraiburgo, Salto Veloso, Macieira, Treze Tílias e Vargeão.

“Ao todo, recebemos cerca de 180 pessoas, entre professores e gestores desses nossos parceiros do oeste de Santa Catarina”, explica o supervisor regional da Editora Opet para Santa Catarina, Nelson Bittencourt. “No domingo, os participantes foram divididos em dois grupos, que fizeram uma jornada cultural pela cidade, com visitas, por exemplo, ao Mercado Municipal, ao Museu Oscar Niemeyer e ao Jardim Botânico.”

Nelson destaca a importância estratégica da formação, que envolveu os professores da Educação Infantil, do primeiro ao quinto ano do Ensino Fundamental, de Arte, Língua Inglesa e Educação Física. “Nosso foco foi o material didático e as ferramentas do Sefe, com direcionamento para o segundo semestre. É uma formação muito importante”, sintetiza.

Impressões da Formação – Para a professora Cristina Lazzarotti, coordenadora da equipe administrativa de Macieira, a adoção dos materiais Sefe ajudou a desenvolver a educação no município. “São livros realmente bons, e a equipe pedagógica que faz as formações nos ajuda a trabalhar com os materiais. Para os professores e os estudantes, isso é algo muito significativo.” Ela destaca a presença, nos livros, de várias atividades práticas, que dinamizam o trabalho e enriquecem a educação. Macieira compareceu à formação com uma equipe de 13 professores.

O município de Arroio Trinta levou 24 professores à formação pedagógica regional em Curitiba. A secretária municipal de Educação do município, professora Claudete Magro, destacou o valor do encontro como parte de algo maior: a busca do conhecimento. “Nós trouxemos nossos professores aqui para que eles pudessem conhecer mais, aprender mais e levar esses conteúdos para as nossas crianças.”

Segundo ela, os docentes gostam muito de trabalhar com a Editora Opet. “Nossos professores têm verdadeira paixão pelos materiais. E ele também é muito bem recebido pelos nossos alunos.” A coordenadora pedagógica Denise Zimmermann Schüller destaca o “desemparedamento” dos professores. “É importante tirar os docentes da sala de aula para que eles tenham novas perspectivas. Da mesma forma, é importante a interação com os professores de outros municípios, para conhecer as dificuldades e as conquistas também.

A secretária municipal de Educação, Cultura e Esporte de Fraiburgo, professora Tânia da Silva Ferreira, destaca a importância da integração entre os professores do município e deles com os professores dos demais municípios participantes do encontro. “Essas trocas de informações, de conhecimento, são fundamentais. Além disso, a saída da sala de aula para a vivência de experiências também é muito importante. Os nossos professores estão aprendendo muito, e de forma lúdica.”

A coordenadora da Educação Infantil de Fraiburgo, professora Michelly Ferlin Hildebrando dos Santos, destaca o entusiasmo do grupo de 39 pessoas que veio a Curitiba. “Nós trabalhamos há algum tempo com o Sefe e as nossas formações locais são excelentes. Vindo para cá, o trabalho foi ainda mais engrandecido. A equipe estava entusiasmada e está aproveitando muito”.

A secretária municipal de Educação de Vargeão, professora Carmen Raymundi, destaca a importância do intercâmbio de informações. “Estamos aqui, em Curitiba, junto com os professores de outros cinco municípios da nossa região. É a oportunidade não só de uma formação pedagógica importante, mas de uma troca de experiências e de conhecimentos com os professores de outras realidades. Isso, sem contar a oportunidade de os professores estarem saindo do seu local para ter novas experiências, analisar, refletir e avaliar seu próprio trabalho.” Vargeão levou 36 professores à formação regional no Paraná.

A parceria entre Vargeão e a Editora Opet entrou em seu terceiro ano. Segundo a secretária Carmen Raymundi, esse período foi avanços significativos. “A melhoria é visível em todos os aspectos – para a criança, para o professor e para a equipe gestora. É muito gratificante estar com o Sefe pelo acompanhamento, pela assessoria e pelo empenho de toda a equipe, que nos auxilia sempre. Cada dia, queremos estar mais perto do Sefe.”

Para a orientadora da Educação Infantil de Treze Tílias, professora Verônica Narita, a integração entre os professores é especialmente importante. “É a primeira vez que estamos participando da formação regional em Curitiba e esse conhecimento, essa integração, agrega muito. É muito importante para que nossos professores coloquem em prática o que viram aqui.”

Salto Veloso compareceu à formação com uma equipe de 26 profissionais da educação municipal, e o aproveitamento foi intenso. “Os professores estão interessados, dispostos e animados. E o trabalho do Sefe de trazê-los para Curitiba é muito importante”, diz o coordenador pedagógico da Educação Infantil do município, professor Alexandre Gatelli. “Isso apenas faz com que tenhamos ainda mais alegria em usar os materiais, que são muito completos.”

 

EXTRA – SAIU A RELAÇÃO DOS FINALISTAS DO IX PRÊMIO AÇÃO DESTAQUE!

A Editora Opet acaba de divulgar os trabalhos finalistas do IX Prêmio Ação Destaque! Confira os nomes dos autores e os trabalhos classificados! Nos dias 07, 08 e 09 de outubro, os finalistas estarão em Curitiba para apresentar seus trabalhos!

CATEGORIA 01 – “AÇÃO COM OS FAMILIARES”
ADRIANA PIROLA ANSILIERO (Arroio Trinta – SC) – “Abrindo as portas do coração!”
ANGELA MARIA RIBEIRO SERAFINI (Fraiburgo – SC) – “Família uma questão de afetividade”
MARIA ANTONIETE BRUNO (Fortaleza – CE) – “Tecendo afetos fortalecendo os laços entre a família e a escola”

CATEGORIA 02 – “EDUCAÇÃO INFANTIL – 1,2 E 3”
ANA KARINA FALCHETTI (Salto Veloso – SC) – “Chuva ou sol? Gotas de curiosidade e raios de aprendizagem”
EGLANTINA MELO ROCHA (Sobral – CE) – “Higienização: aprendendo desde cedo a importância da construção desse hábito”
KAREN REGINA ALVES (Campina Grande do Sul – PR) – “A importância da conservação da água na educação infantil”

CATEGORIA 03 – “EDUCAÇÃO INFANTIL 4 E 5”
EDERLI MARGREITER DE MÉLO (Treze Tílias – SC) – “Com a família e a escola quero estar, porque aqui é o meu lugar”
GILMARA RIBEIRO ALVES (Jacarezinho – PR) “Reciclar: um olhar para o futuro”
SANDRA SCHU (Entre Rios do Oeste – PR) – “Doce Jornada: Aprendendo sobre as abelhas e seus derivados”

CATEGORIA 4 – “ENSINO FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS – 1º AO 3º ANO”
GEOVANA MEIRE GOMES DE ALBUQUERQUE   (Fortaleza – CE) – “Descobrindo saberes e sabores na trilha encantada da leitura!”
KATIA RODRIGUES DE MOURA (Santana de Parnaíba – SP) – “Projeto Motivação”
MIRA CAROLINA DOS SANTOS ZELA (Paranaguá – PR) – “A necessidade da inserção da Libras nas séries iniciais do Ensino Fundamental e o seu impacto social”

CATEGORIA 5 – “ENSINO FUNDAMENTAL ANOS INICIAIS – 4º AO 5º ANO”
JULITA MARIA CAMPOS WERLANG (Pinhalzinho – SC) – “Carta da Escola”
MARILI MOREIRA LOPES (Paranaguá – PR) – “Nos trilhos com a Matemática”

CATEGORIA 6 – “ENSINO FUNDAMENTAL ANOS FINAIS – 6º AO 9º ANO E ENSINO MÉDIO”
LUCIANA MARTINES DO NASCIMENTO (Santana de Parnaíba – SP) – “Luz, câmera, alunos em ação!”
TIAGO LA SERRA BONEBERG (Santana de Parnaíba – SP) – “Refúgio dos Migrantes”

CATEGORIA 7 – “ARTE”
ANDREA MENDES AVONA (Santana de Parnaíba – SP) – “Arte Presente”
KÁTIA RAQUEL DOTTA  (Salto Veloso – SC) – “O artista cria e representa a paisagem, e do lixo também surge arte!”
LUCIANO PEREIRA DA SILVA (Santana de Parnaíba – SP) – “Orquestra de sucata – Sustentabilidade – credibilidade”

CATEGORIA 8 – “EDUCAÇÃO FÍSICA”
ELIANER FÁTIMA LINDER MAYER (Salto Veloso – SC) – “Educação Física e os elementos da natureza: experiências de aprendizagem no 5º ano”
LUIZA BORTOLACI PIONER (Entre Rios do Oeste – PR) – “Construindo o brincar”
MAYRA GASCIA JUSTO (Cambará – PR)  – “A Educação Física e a importância do brincar no ambiente escolar”

CATEGORIA 9 – “LÍNGUA ESTRANGEIRA”
SIRLEI RODRIGUES DOS SANTOS TELLES DE OLIVEIRA (Campo Verde – MT) – “Friends”
VANESSA APARECIDA MINETTO
(Cerqueira César – SP) – “Welcome to the English World, where traveling is learning”

CATEGORIA 10 – “GESTÃO ESCOLAR”
ARIANE CRISTINA XAVIER (Ilha Solteira – SP) – “Horário de trabalho pedagógico coletivo: ação e reflexão do trabalho docente”
LENIR ANGÉLICA TOMAZ MADALOZ (Santana de Parnaíba – SP) – “Gestão democrática na tomada de decisões, resolução de conflitos e busca de melhorias na qualidade do ensino”
THAYS PORTO DE JESUS CAMBI (Santana de Parnaíba – SP) – “Avaliação no Ensino Médio: indicadores de processos contínuos que promovem uma educação integral e digital”

CATEGORIA 11 – “EDUCAÇÃO AMBIENTAL”
DÉBORA REDERD FRANÇA VIDAL (Paranaguá – PR) – “Semeando aqui, colhendo acolá, o ‘meu ambiente’ preciso preservar”
DENISE ZIMMERMANN SCHULLER (Arroio Trinta – SC) – “Conhecendo os biomas brasileiros”

CATEGORIA 12 – “PROJETOS INOVADORES”
IVONI BOSA COSSA (Arroio Trinta – SC) – “Um pedacinho da nossa história em cartão-postal”
LUZIANA DA SILVA LIMA (Fortaleza – CE) – “Projeto Super leitores: Trilhando o saber, o prazer e o poder através da leitura”
ANDRESSA SANGALETTI (Treze Tílias – SC) “Meditando na escola: o poder de mudar está dentro de mim!”

“SEFE INDICA”
EMANUELLE CHRISTYNE RUEDA ALVES (Paranaguá – PR) – “Pesquisa e aprendizagem na formação em serviço – o diferencial da gestão pedagógica na transformação educacional”

Editora Opet inicia projeto-piloto de formações pedagógicas online

Primeira formação foi com os professores do Colégio Galileu, de Sorocaba (SP)

A Editora Opet iniciou nesta semana, mais exatamente na segunda-feira (02), um projeto-piloto de formações pedagógicas digitais que vai aproximar ainda mais as escolas parceiras, desburocratizar o processo e fortalecer a sustentabilidade no nosso trabalho. Esse primeiro trabalho foi realizado com o Colégio Galileu, um grande parceiro na região de Sorocaba (SP), e envolveu a formação de professores da Educação Infantil, do Ensino Fundamental Anos Iniciais e também Anos Finais dos componentes de Língua Portuguesa, Inglês, Espanhol, História, Geografia, Matemática, Ciências, Arte e Educação Física.

“O Galileu é um parceiro de muitos anos, que está sempre aberto à inovação e às questões tecnológicas. Eles têm um trabalho muito interessante com os laboratórios de informática e com o nosso portal digital, onde, no ano passado, os professores fizeram uma formação online”, conta a supervisora pedagógica Silneia Chiquetto, responsável pelo trabalho com o Colégio Galileu. “Neste ano, a diretora Cristina Valera Baptista nos solicitou uma formação mais específica, por área. E nós pensamos que seria uma oportunidade de lançar o projeto-piloto”.

Direto do estúdio – Ajustados os detalhes, chegou-se ao formato online. Na Editora, os formadores se comunicaram a partir do recém-inaugurado estúdio de gravação em multimídia, que conta com equipamentos de última geração. A professora e assessora Karen Dias foi uma das formadoras, do Ensino Fundamental. “Eu achei a proposta muito interessante. No início, como é algo novo, fiquei um pouco nervosa, mas à medida que o trabalho foi acontecendo, me senti muito bem. A interação foi excelente!”, conta.

Para a diretora pedagógica do Colégio Galileu, professora Cristina Valera Baptista, a formação online por área foi um sucesso. “É uma inovação que nos aproximou ainda mais. A equipe gostou muito! Ela nos permitiu aumentar a troca de experiências e de vivências. E, em termos pedagógicos, o trabalho é muito rico. Construímos mais uma ponte para o conhecimento”, resume.

Poderoso e sustentável – Silneia Chiquetto destaca o fato de que as formações online são um recurso poderoso. E que funciona muito bem em relação a certos aspectos da educação, em especial no caso das escolas privadas. “Muitas vezes, por conta do relacionamento com as famílias, as escolas particulares têm dificuldade em reservar um dia inteiro para uma formação pedagógica presencial. Com essas formações online, é possível dinamizar o processo e distribuir o tempo de uma forma mais adequada para a escola”, observa. Silneia também destaca a importância desse recurso em relação à sustentabilidade, uma vez que ele substitui deslocamentos físicos – que podem chegar a milhares de quilômetros – sem prejuízos à formação dos professores. “É um recurso a mais, que passa a fazer parte do nosso trabalho com os professores e os gestores em todo o país.”

João Rodrigo Almeida, colaborador da área de Tecnologias Educacionais da Editora Opet e responsável pela condução técnica dos trabalhos, reforça o caráter de facilitação das ferramentas digitais. “A educação não pode prescindir de recursos tão importantes, que agilizam e aproximam as pessoas e os processos de formação pedagógica. E nós nos preparamos, com nosso estúdio, para oferecer os equipamentos adequados a uma comunicação de alta qualidade.” As formações online, aliás, são apenas uma parte das novidades que estão em andamento na Editora em relação às novas tecnologias. Elas incluem, por exemplo, a nova plataforma de recursos digitais da Editora, que está em fase final de desenvolvimento.

 

Uma formação gigante em Santana de Parnaíba!

As atividades levaram 30 formadores da Editora a Santana e foram realizadas em três colégios municipais.
O trabalho envolveu o conhecimento e o aprofundamento didático-pedagógico em relação aos conteúdos do semestre nos vários componentes curriculares.

Na semana que passou estivemos em Santana de Parnaíba, município paulista que é um dos principais parceiros da Editora Opet. Lá, junto com a equipe da Secretaria Municipal de Educação, fizemos a formação semestral de cerca de 800 professores e gestores! As atividades levaram 30 formadores da Editora a Santana e foram realizadas em três colégios municipais.


Formação semestral – Editora Opet/ Santana
de Parnaíba


O trabalho envolveu o conhecimento e o aprofundamento didático-pedagógico em relação aos conteúdos do semestre nos vários componentes curriculares.
As formações, como observa a gestora pedagógica Cliciane Élen, tiveram como encaminhamento didático a abordagem criativa, o que possibilitou aos professores e gestores colocarem a mão na massa! Além disso, os agentes de organização escolar e oficiais administrativos assistiram uma palestra sobre Inteligência Socioemocional, tema estratégico.


Formação semestral – Editora Opet/ Santana
de Parnaíba

O secretário de Educação de Santana, Clecius Romagnoli, resumiu assim o trabalho: “Foi uma formação extremamente importante. Nosso sucesso nos indicadores da educação tem a ver com a formação constante dos professores, e com o conhecimento de novos processos didáticos e metodológicos. A receptividade pelos professores foi muito grande. É a maior que já tivemos em relação a um sistema de ensino.” Em tempo: Santana de Parnaíba foi o município da região metropolitana de São Paulo com maior crescimento do IDEB na última avaliação.

Editora Opet leva proposta de educação humana e cidadã para o RS

A Editora Opet participa, nos dias 23 a 25, em Gramado no “Educação para Transformação”, evento que vai reunir professores, gestores e palestrantes brasileiros e estrangeiros para debater alguns dos principais temas da educação brasileira na sede da FAURGS.

Um modelo de educação humana, cidadã e que aproxima as pessoas do conhecimento e as famílias da escola. Com essa proposta, a Editora Opet – empresa paranaense que é uma das mais tradicionais do país no segmento de sistemas de ensino – está ampliando sua presença no Rio Grande do Sul. Nos dias 23 a 25, estará em Gramado no “Educação para Transformação”, evento que vai reunir professores, gestores e palestrantes brasileiros e estrangeiros para debater alguns dos principais temas da educação brasileira na sede da FAURGS.
Fundada há 26 anos em Curitiba e parte do Grupo Educacional Opet, a Editora Opet atua em todas as regiões do país, atendendo redes públicas de ensino com o selo Sistema Educacional Família e Escola – Sefe e escolas privadas com o selo Opet Soluções Educacionais. Em seu estande em Gramado, a Editora apresentará seus materiais para os dois segmentos.
Parceiros – Entre os municípios que adotam os sistemas de ensino da Editora Opet estão campeões da educação como Sobral (CE), melhor IDEB do país, Santana de Parnaíba (SP) e Fortaleza (CE). “Ao longo dos anos, reunimos uma vasta experiência com a educação. Com materiais de alta qualidade, formações pedagógicas presenciais que são um diferencial e um trabalho que respeita as características de cada região”, observa o gerente comercial da Editora para o segmento público, Roberto Costacurta.
Especificamente na Região Sul, a Opet mantém parcerias educacionais com municípios há muitos anos. “Atualmente, atuamos em várias redes municipais de ensino do Paraná e de Santa Catarina oferecendo materiais para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental.” Entre os parceiros da Editora nos dois Estados estão Chapecó, Vargeão, Braço do Norte, Paranaguá, Irati e Cafelândia.
Em terras gaúchas –
“Agora, estamos ampliando nossa presença a partir de um evento educacional que já é tradicional no Rio Grande do Sul. Acreditamos ter muito a agregar em um Estado que já faz um trabalho importante com a educação.” Ele destaca a aproximação entre as escolas e as famílias, que permeia a proposta pedagógica Opet, e a atualização permanente das coleções e ferramentas pedagógicas segundo as leis que regem a educação brasileira.
Entre os materiais que serão apresentados no estande da Opet no “Educação para Transformação”, em Gramado, estão as coleções “Entrelinhas para Você”, “Caminhos e Vivências” e “Trilhas”, que são carros-chefes no segmento público. “São materiais com uma proposta de trabalho muito rica, que fortalece o processo de ensino aprendizagem e valoriza a criatividades dos professores”, observa Roberto.
Valor – Para o realizador do “Educação para Transformação”, Paulo Ferraz (da Ferraz Eventos), a participação da Editora Opet agrega valor ao evento e à experiência dos participantes. “Teremos representantes de 13 Estados, pessoas que estão em busca de atualização de conhecimentos, de produtos e serviços de qualidade. E, nesse sentido, a Editora Opet oferece qualidade.”
Serviço – O “Educação para Transformação” acontece de 23 a 25 de julho na sede da FAURGS, na Rua São Pedro, 63, Centro, Gramado. Informações sobre o evento podem ser obtidas em https://www.ferrazeventos.com.br/events/educacaoparatransformacao/.

Biologia: reforço estratégico para o material do nono ano da Coleção Cidadania

A aproximação com os parceiros é um diferencial da Editora Opet. A partir dela, estamos atendendo a um pedido de escolas privadas que utilizam os materiais da Coleção Cidadania – Anos Finais. De olho na preparação dos estudantes para o Ensino Médio, o vestibular e o Enem, elas solicitaram a inclusão de conteúdos de Biologia ao livro de Ciências do 9º ano do Ensino Fundamental, que tem como foco a Física e a Química.

E nós atendemos à demanda: nos últimos meses, o professor de Biologia José Augusto Real Limeira, um dos nossos editores, está trabalhando bastante para oferecer materiais complementares de alta qualidade. “Estamos resgatando conteúdos de Biologia abordados no 6º, 7º e 8º anos, e agregando a eles conceitos centrais da área de conhecimento que serão vistos no Ensino Médio. A proposta é instrumentalizar os alunos do 9º ano com os principais fundamentos das Ciências da Natureza, proporcionando o seu ingresso no Ensino Médio com uma boa base para estudos mais aprofundados, incluindo conteúdos e resolução de situações-problema apresentados por questões de vestibulares e de Enem”, explica José Augusto.


Os conteúdos, que estão sendo oferecidos em formato digital – e que em 2020 serão agregados aos livros físicos –, compreendem temas de Citologia, Genética, Ecologia e Evolução. A sequência didática proposta, explica José Augusto, visa otimizar o estudo e fazer os estudantes raciocinarem de forma mais aprofundada. “Oferecemos uma proposição teórica, provocações para o estudo por meio de atividades de complexidade gradativa e sugestões de conteúdo digital, como vídeos e animações, que possibilitam o estudante concretizar de forma mais dinâmica a aprendizagem de conceitos centrais da Biologia abordados na unidade. As atividades propostas iniciam com questões que solicitam a construção de conceitos centrais, passando pela resolução de questões abertas que instigam a análise e a interpretação, culminando na resolução de questões de vestibulares e de Enem. Nessa perspectiva, pretende-se mobilizar e instrumentalizar gradativamente os estudante em seu processo de aprendizagem.”

“Diálogos Pedagógicos 2019”: sucesso com as escolas privadas do RN

Para a Editora Opet, é fundamental debater temas ligados à escola. Aproximar pessoas, dialogar e trazer informações que permitam avançar cada vez mais na direção de uma educação humana, cidadã e transformadora. Foi com essa perspectiva que, no último sábado (06) realizamos em Natal a edição de 2019 dos “Diálogos Pedagógicos”, que reuniu cerca de 160 participantes. Em sua maioria, mantenedores, gestores e professores de escolas privadas que utilizam os materiais e ferramentas pedagógicas Opet Soluções Educacionais no Estado do Rio Grande do Norte.

Ao longo de toda a manhã, os participantes puderam debater dois temas importantes da educação brasileira. O primeiro foi a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e as competências do professor, apresentado pela professora, pedagoga e psicopedagoga Rúbia Cristina dos Santos, supervisora pedagógica da Editora Opet. E o segundo foi a Inteligência Socioemocional em uma perspectiva da escola, trazido pelo professor Julio César Luchmann, mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

Conhecimento que agrega – Janaína Ferreira de Oliveira é mantenedora da escola Cardoso Júnior, de Natal. Segundo ela, eventos como os “Diálogos Pedagógicos” agregam bastante ao trabalho dos educadores. “Estamos aqui ganhando e multiplicando conhecimentos. Isso nos motiva muito!”, observa. Ela, que é parceira da Editora Opet há pouco mais de um ano, destaca o valor do trabalho realizado até agora. “A parceria com a Editora Opet é muito proveitosa. Temos respaldo em nossas questões e um apoio importante da assessoria pedagógica.”

Para Maria Cláudia da Silva, coordenadora e orientadora pedagógica da Educação Infantil do Colégio Prince, também de Natal, os “Diálogos” trazem algo diferente ao trabalho pedagógico – uma perspectiva mais ampla. “Ao reunir educadores de várias instituições, com suas questões e olhares, esse encontro fortaleceu o processo educacional. Isso é muito importante.”

Edilma da Silva Cortez, do Centro Integrado de Vivências Educacionais (CIVE), parceiro no município de Currais Novos, ressaltou a importância do tema do encontro deste ano. “A reflexão sobre a BNCC e as competências que devem ser desenvolvidas com o estudante é essencial. Temos focado muito essas habilidades em nossa escola.” Ela também destacou a importância da parceria com a Editora Opet, iniciada em 2017. “A filosofia da Editora Opet é muito próxima à filosofia da nossa escola, de experimentar e vivenciar os conhecimentos. Isso fortalece muito o trabalho pedagógico.”

Um diálogo especial – A supervisora pedagógica da Editora Opet no Rio Grande do Norte, Janaína Bezerra, destaca o valor dos Diálogos Pedagógicos na parceria com as escolas. “É um momento coletivo de diálogo e trocas com os mantenedores. Esse trabalho, aliás, é diferente do trabalho formativo e de assessoria que realizamos com cada escola ao longo ano. Ficamos muito felizes em observar que os participantes gostaram. Eles saíram satisfeitos!”, observa.

“Malabarizando” com a equipe pedagógica da Editora Opet

O que malabarismo tem a ver com educação? Quando pensamos nas muitas tarefas de um professor, gestor ou assessor pedagógico, a comparação com um artista capaz de lançar e controlar bolinhas ou malabares faz todo sentido. Foi essa a tônica do “Malabarizando”, vivência lúdica baseada em progressões pedagógicas que, na última segunda-feira, reuniu a equipe do departamento pedagógico da Editora em Curitiba. A formação abriu as atividades formativas do segundo semestre.


“Em relação à fundamentação e estudos, nós já havíamos feito formações. Seria necessário refletir sobre a dinâmica do trabalho. E foi daí que surgiu o tema do malabarismo e a transposição simbólica dele para o que fazemos”, explica a gestora do Pedagógico, Cliciane Élen.
Cada assessor produziu suas próprias bolinhas e, com o apoio de um facilitador – o professor Danilo Faria, professor de Educação Física -, começou a lançá-las. A meta: lançar e controlar três bolinhas, primeira etapa do aprendizado do malabarismo. Durante o processo, eles refletiram sobre motivação, qualidade, mudanças e trabalho em equipe, relacionando cada elemento à tarefa realizada.
Aos poucos, foram dominando as técnicas básicas em um processo que também mostrou o valor do compartilhamento. “Em termos simbólicos, cada bolinha representa um elemento da nossa existência. O trabalho com os dois selos educacionais (Sefe e Opet Soluções), mudanças nas leis educacionais e outras demandas que surgem no dia a dia, por exemplo.” Em um segundo momento, os assessores escreveram uma lista de suas “bolinhas”, ou seja, de seus principais desafios na empresa.
Cliciane destaca o valor da atividade, especialmente, em relação ao fortalecimento da equipe e do trabalho conjunto. “Com as bolinhas, conseguimos fazer uma transposição simbólica dos desafios. A cada técnica nova, parávamos e fazíamos uma observação. E vimos como, com apoio mútuo, fica muito mais fácil controlar as próprias bolinhas, ou seja, as próprias tarefas que constituem o nosso trabalho”, observa Cliciane.


Esse trabalho, vale observar, pode e deve ser compartilhado pelos assessores nas muitas formações que serão realizadas no segundo semestre. O malabarismo é considerado um instrumento pedagógico criativo e instigante em várias áreas do ensino.

Fortaleza dá um salto de qualidade na educação pública municipal. E a Editora Opet faz parte dessa história!

Fortaleza, capital do Ceará, anunciou na última semana uma grande conquista em sua educação pública. Em seis anos, de 2012 a 2018, o município saltou 81 posições no ranking cearense de alfabetização, passando da última posição (184ª) para a de número 103. Uma evolução importante, muito mais em um Estado que, nos últimos anos, promoveu grandes avanços na educação a partir de iniciativas como o Programa de Alfabetização na Idade Certa (PAIC) e viu municípios como Sobral assumirem grande protagonismo na educação. Sobral, que é parceiro da Editora Opet na Educação Infantil e no Ensino Fundamental, ocupa a primeira posição no ranking do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o IDEB, com um índice de 9,1.
Para a Editora Opet, os avanços na educação em Fortaleza mostram, em primeiro lugar, a seriedade com que o tema é tratado pelos gestores municipais. Demonstra, também, o sucesso da parceria entre o município e a Opet. “Somos parceiros desde 2013. Atendemos o segundo ano dos Anos Iniciais com materiais didáticos e formações pedagógicas com os professores, além de fazer as visitas regulares de acompanhamento técnico pedagógico nas escolas”, explica o supervisor regional para o Estado, Francisco Glaylson Rodrigues. Ele lembra que o segundo ano representa um momento crítico para a alfabetização, que é o foco do ranking que envolve os 184 municípios cearenses.
A Editora Opet, por meio do selo educacional Sefe, fornece os materiais da Coleção “Caminhos e Vivências” para todos os professores e estudantes. As formações mensais, que contemplam a utilização desses materiais, envolvem os professores e os gestores pedagógicos. Esse trabalho é feito por uma equipe de dez profissionais da Editora e tem o suporte da matriz, em Curitiba.
Além disso, ao longo do ano a equipe pedagógica Opet faz inúmeras visitas a escolas da rede consideradas prioritárias por suas características. “Nessas escolas, fortalecemos nossa ação propondo atividades e encaminhamentos, cooperando e dando suporte às equipes”, observa Glaylson. “Assim, potencializamos o trabalho do professor com o uso dos materiais.”
Mensalmente, Glaylson também se reúne com a gerência de formação da Secretaria de Educação para fazer o planejamento e para ter um feedback e fazer uma avaliação do trabalho pelos gerentes. “Dessa forma, conseguimos monitorar o trabalho e fazer os ajustes necessários.”
Os materiais – Glaylson destaca o valor dos materiais para o sucesso da parceria com Fortaleza. “Os livros da Coleção Caminhos e Vivências são muito bem estruturados, com uma fundamentação teórica muito consistente. Eles proporcionam a formação de sujeitos críticos, reflexivos, que dão suporte para o trabalho do professor mediador. Esse professor acredita no diálogo entre o alfabetizar e o letramento e os vê como processos indissociáveis e essenciais para a alfabetização verdadeira.”
Glaylson acredita que, em pouco tempo, Fortaleza será uma referência para as outras capitais e cidades nordestinas no tema alfabetização. No ano passado, Fortaleza passou a ocupar o 1º lugar na taxa de sucesso escolar das cinco maiores redes municipais das capitais, com 96%, à frente de São Paulo (95,8%), Belo Horizonte (93,7%), Manaus (92,9%) e Rio de Janeiro (91,7). A taxa de reprovação também caiu de 4,4%, em 2017, para 3,4%, no ano passado.

Colaboradores da Editora celebram o Dia do Brincar

Na terça-feira (28), os colaboradores da Editora viveram uma tarde diferente. A partir de uma iniciativa do Pedagógico, houve uma celebração do Dia Internacional do Brincar, data que faz parte do calendário do UNICEF desde o ano 2000. Para a comemoração, o auditório da Editora foi transformado em uma sala de jogos, com brinquedos tradicionais – como jogos de tabuleiro, cartas e quebra-cabeças – e eletrônicos. A equipe foi dividida em grupos que brincaram por trinta minutos.

A atividade foi organizada pela assessora pedagógica Milena Nichel, responsável pelas formações da área de Educação Física. “Pensamos em fazer esse momento para comemorar a data e para liberar a criança que existe dentro de cada colaborador”, explica Milena. “E também para fortalecer a interação entre as pessoas.” Outros aspectos relevantes do brincar são o estímulo à criatividade e o compartilhamento de ideias entre colaboradores de diferentes setores, elementos essenciais em uma empresa que trabalha com educação.
Milena lembra que o brincar tem uma enorme importância no contexto da educação – “brincar é aprender”, resume –, e que jogos e brincadeiras também fazem parte do trabalho pedagógico da Editora Opet com os parceiros públicos e privados. Entre os jogos compartilhados com os professores nas formações estão o tangram, o xadrez e o betes.