“Que livro incrível!”: como estimular a leitura entre crianças e adolescentes?

De acordo com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a habilidade de leitura é definida como a “capacidade de entender, usar e refletir sobre textos escritos de modo a conquistar objetivos, desenvolver conhecimento e potencial e participar da sociedade”. 

No Brasil, segundo uma pesquisa da própria OCDE, existe uma diferença gritante em relação ao nível de leitura entre pessoas de diferentes classes sociais – quanto menos favorecida é a família, menor o acesso aos livros e à leitura. Um problema estrutural dos mais sérios, que prejudica o desenvolvimento social do Brasil há muito tempo. Uma das formas de reverter esse quadro está no estímulo à leitura – e a escola pode desempenhar um papel-chave neste contexto.

Como melhorar os hábitos e habilidades relacionadas à leitura 

Neste artigo, vamos focar em coisas que podemos fazer na sala de aula para melhorar fortalecer os hábitos e a cultura leitora em nosso país. Essas práticas também podem ser colocadas em prática pelas famílias!

Como estimular o hábito da leitura em crianças e adolescentes?

A seguir, trazemos algumas sugestões de como professores podem estimular os estudantes a amar a leitura e como os familiares podem ajudar no processo. Tudo começa na associação da leitura com algo especial: agradável, divertido, enriquecedor e precioso!

Estimule a socialização por meio da leitura

Crie clubes do livro, grupos de leitura e círculos de literatura presenciais e no ambiente digital. A interação a partir da leitura aumenta muito a compreensão em relação às histórias e torna o processo mais agradável, especialmente entre leitores recentes. 

Conhecendo as bibliotecas locais

Levar os estudantes até as bibliotecas públicas da cidade, mostrando a riqueza dos acervos e dos lugares, é uma excelente maneira de estimular neles o gosto pela leitura. 

As crianças vão se encantar, por exemplo, com livros repletos de imagens e com gibis. Já os mais velhos podem se interessar por gêneros específicos e próprios para a sua faixa etária, como romances policiais, contos, crônicas ou ficção científica. 

Vamos ao teatro?

Que tal transformar os livros em roteiros de peças teatrais? Essa é uma maneira divertida e inteligente de unir a sala toda em um projeto. Cada um fica responsável por uma parte: alguns estudantes podem cuidar do próprio roteiro, com a supervisão do professor, enquanto outros ficam responsáveis pelos cenários, iluminação, guarda-roupa e interpretação.  

Leia para as crianças antes de dormir 

As crianças adoram histórias! Por meio delas, podem adentrar um mundo mágico onde tudo é possível. Então, que tal ler uma história antes de as crianças dormirem? O Brasil tem uma tradição fantástica de autores de livros infantis, com nomes como Ana Maria Machado, Ruth Rocha, Ziraldo e Lygia Bojunga. Isso, sem contar as fábulas, histórias do folclore e até textos sobre a nossa História adaptados ao público infanto-juvenil. Há muitas opções!

Proponha debates em sala de aula

Para os estudantes mais velhos, também é possível inserir os livros em discussões sobre temas atuais. Ao associar os assuntos da vida cotidiana às histórias, os discentes se identificam com os personagens e passam a se interessar cada vez mais pela leitura. 

Filmes e livros 

Estimular o hábito da leitura em adolescentes que nunca tiveram contato com o universo dos livros é desafiador. Uma maneira de fazer isso é propor a leitura de livros que viraram filmes. Como citamos, todos gostam de boas histórias, mas conhecer histórias por meio da leitura é mais desafiador do que por meio de filmes. Os filmes são mais fáceis de acompanhar e exigem menos capacidade de interpretar textos. Então, é comum que muitos jovens prefiram essa linguagem. 

Ao propor a leitura de um livro associado a um filme de que os estudantes já gostam, a resistência pode ser menor. Após a leitura, converse, por exemplo, sobre as semelhanças e diferenças entre a história do filme e do livro. Tente abordar o porquê das diferenças e até mesmo as alterações na personalidade e características dos personagens.

Opet INspira e o compromisso com a qualidade do nível de leitura 

A Opet INspira, plataforma digital de objetos educacionais da Editora Opet, disponibiliza uma variedade de ferramentas e recursos que contribuem para o estímulo dos hábitos de leitura. 

A partir dela, os professores podem fazer trilhas de aprendizagem e roteiros de estudos que podem ser compartilhados inclusive com as famílias para que estas possam acompanhar a evolução dos pequenos.

Há opções de histórias infantis e também de livros paradidáticos sobre muitos temas que, além de estimular a leitura e ensinar sobre assuntos relacionados à fase atual da criança, contam com ideias de atividades que podem ser executadas a partir das histórias lidas. 

Livros e ferramentas digitais: integração e transformação

Nos últimos meses, a educação digital cresceu de uma forma impressionante. Hoje, ela é utilizada por milhões de estudantes, e vai crescer cada vez mais. Nesse processo, qual o lugar dos livros? Como integrar o ensino digital aos volumes impressos? É possível, a partir dos avanços tecnológicos, pensar no surgimento de “super livros”?

Essas são algumas das perguntas que fizemos a Luciano Rocha, coordenador de Tecnologias Educacionais da Editora Opet e da plataforma educacional Opet INspira, na mais nova edição do OpetCast, o podcast de educação da Editora Opet. Clique e escute agora! Editora Opet: educação que aproxima!

Uma reflexão sobre as novas formas de educar

O OpetCast desta semana está tratando de um tema muito importante: a necessidade de se repensar as formas de educar. As aulas remotas nos fizeram ver que antigas práticas educacionais podem e devem dar lugar a um mundo mais dinâmico e digital. Para falar a respeito, chamamos a gerente pedagógica da Editora Opet, Cliciane Élen Augusto, uma especialista em educação!

Tudo sobre a Plataforma Inspira!

Você conhece a Plataforma Inspira? Ela foi especialmente criada pela Editora Opet para oferecer conteúdos digitais, componentes curriculares e conexões com o conhecimento para milhares de estudantes e professores em todo o país. Uma ferramenta educacional poderosa, que está transformando a educação. Quer saber mais? Então, escute a edição especial do OpetCast sobre a Plataforma Inspira, com Luciano Rocha, coordenador de tecnologia educacional da Editora Opet.

Desafios e aprendizados.

Nos últimos meses, a Editora Opet se reorganizou para atender as demandas da pandemia. Esse processo gerou muitos conhecimentos e muitas novidades para os nossos parceiros. Um dos setores mais envolvidos foi o Editorial, que mergulhou no universo da educação digital. Na edição desta semana do OpetCast, conversamos com o diretor de produto da Editora Opet, Gilberto Soares dos Santos, sobre essas transformações e também sobre o futuro do livro impresso. Uma conversa esclarecedora!

A parceria entre Editora Opet e os Munícipios – Episódio 2

O ano de 2021 ainda gera muitas dúvidas para a educação pública. Quando, afinal, as aulas presenciais voltarão ao normal? A partir de que protocolos? E o ensino híbrido vai, mesmo, ser a nova realidade das escolas? No segundo episódio do OpetCast sobre a relação entre a educação pública e os sistemas de ensino, Roberto Costacurta, gerente comercial da Editora Opet para a área pública, fala sobre esse cenário e, também, sobre o valor das parcerias para superar os desafios e crescer. Não perca! É OpetCast: a Editora Opet de ouvir!

A parceria entre Editora Opet e os Munícipios

A pandemia teve reflexos importantes sobre a educação pública. Nesse cenário, os sistemas de ensino assumiram um papel importante de apoio aos municípios, auxiliando, por exemplo, na implantação do ensino remoto. A parceria entre a Editora Opet (Sefe) e os municípios e o tema da nova série especial do OpetCast em dois episódios. Nosso entrevistado é Roberto Costacurta, gestor comercial da Editora para a área pública. Não perca o primeiro episódio!

Digital + Real: Educação, Realidade Aumentada e o Google for Education

Você provavelmente já 15ouviu falar em Realidade Aumentada (RA). É uma tecnologia relativamente recente que, nos últimos anos, ganhou força, inclusive na educação. E que, com o aumento da velocidade e da capacidade das redes, em especial com a chegada da tecnologia 5G, deve se tornar ainda mais popular em pouco tempo. Assim, prepare-se!

Mas, afinal, o que é a Realidade Aumentada (RA)?

Realidade Aumentada (RA) é o nome dado à tecnologia de sobreposição de objetos digitais ao mundo real, em tempo real, com resultado de “aprofundamento” de informações. Imagine, por exemplo, “ver” dos órgãos internos do seu cachorro de estimação, usando para isso seu próprio smartphone e um aplicativo que traz imagens digitais tridimensionais destes órgãos e os “aplica” à realidade. Ou, então, ter acesso a várias informações sobre uma obra de arte apenas de apontar seu smartphone para ela. Isso é RA!

Ela se diferencia da Realidade Virtual (RV), que é composta exclusivamente de objetos e cenários criados digitalmente – como, por exemplo, nos jogos eletrônicos que simulam planetas alienígenas, cidades ou ambientes históricos.

Para que a Realidade Aumentada seja possível, é preciso um software que “cruze” o real e o digital e um aparelho capaz de fazer a leitura e exibição das imagens. Esses aparelhos podem ser tablets e smartphones ou, então, plataformas específicas. Diferentemente da realidade virtual, a realidade aumentada não cria um mundo completamente virtual e fictício, mas utiliza o ambiente real como cenário para um objeto digital. Um exemplo conhecido? O jogo “Pokémon Go”, que combina geolocalização e interação com personagens digitais.

Realidade aumentada na educação

Imagine o quão cativante seria uma aula em que as ilustrações pudessem “saltar” do livro e ter movimentos, expressões e falas. Ou poder ver, em uma parede da sala de aula, os movimentos do sistema solar, o curso da água pela estrutura de uma planta ou da lava até a erupção de um vulcão.

Com a realidade aumentada, a exposição à informação sensorial aumenta, o que facilita a interpretação, assimilação e compreensão dos conteúdos. É essa possibilidade de imersão que caracteriza a eficiência desse recurso para a educação, além de ser uma tecnologia acessível e de fácil aplicabilidade.

Outra vantagem é que o pano de fundo dessa experiência é o próprio ambiente escolar, o que faz com que o aluno associe aquela experiência de estudo à escola. Além disso, o componente digital faz parte de um universo muito popular e curioso para esta geração, o que coloca o interesse do estudante como ponto de partida para o desenvolvimento da aula e do conteúdo.

O professor

Por mais possibilidades que possa trazer, a tecnologia, por si, não promove educação. Ela é apenas um recurso eficiente para a comunicação entre os agentes do processo de ensino aprendizagem: o professor e o estudante. Por isso, é importante que o professor busque, antes de tudo, conhecer, estudar e compreender a realidade aumentada – assim como os conteúdos ministrados – para poder utilizá-la de forma relevante e contextualizada.

Engajar os estudantes é um dos principais desafios dos professores, e a RA pode ser uma aliada potente para isso.

A RA e o Google for Education

Os usuários do Google for Education – caso dos parceiros públicos e privados da Editora Opet – têm acesso a uma tecnologia poderosa de Realidade Aumentada. Ela atende pelo nome de “Google Expeditions” – um aplicativo – e permite uma exploração do mundo de forma virtual. Seus conteúdos abrangem, por exemplo, temas de História, Ciências, Artes e Mundo Natural, inseridos digitalmente na realidade em animações e gráficos fantásticos em 3-D. Pense, por exemplo, em dinossauros, astronomia, pintores renascentistas, fenômenos naturais, órgãos do corpo humano… tudo isto está lá e pode ser usado em aulas criativas e envolventes! As imagens em 360 graus permitem uma imersão no mundo virtual – e seu cruzamento com o mundo real -, em expedições guiadas pelo professor ou pelos próprios estudantes.

Para acessar o Google Expeditions, os requisitos mínimos são, além da conta no Google, o aplicativo “Expeditions”, disponível gratuitamente nas lojas Play Store e App Store, e um smartphone compatível com o aplicativo. Aos professores, o aplicativo também fornece a possibilidade de criação de conteúdos exclusivos para as aulas.

Para mais conteúdos como esse, acompanhe nosso blog e nossos perfis nas redes sociais.

Papelão, plástico e smartphone: o próprio Google fornece modelos de óculos de realidade aumentada/realidade virtual que podem ser produzidos em casa.

 

Professores parceiros da Editora Opet participando de formação pedagógica com o uso de leitores de Realidade Virtual.

Papelão, plástico e smartphone: o próprio Google fornece modelos de óculos de realidade aumentada/realidade virtual que podem ser produzidos em casa.

Fortalecendo a parceria família e escola

Como funciona a relação de parceria entre família e escola nos países que alcançaram a excelência educacional? E a lei brasileira, privilegia essa aproximação? Como, afinal, fortalecer uma parceria tão importante? Essas e outras questões foram respondidas no segundo episódio do OpetCast com a professora Oralda Adur de Souza. Oralda é uma das maiores autoridades brasileiras na relação família e escola. É pós-doutora em estudos da Família Contemporânea e autora das coleções da Editora Opet sobre o tema. Uma grande conversa, que vale a pena ouvir!