Editora Opet e Prefeitura de Curitiba fecham parceria para o ensino da Língua Inglesa nas escolas municipais

A Editora Opet e a prefeitura municipal de Curitiba lançaram oficialmente na noite de ontem (29) uma parceria para o ensino da Língua Inglesa. Serão atendidos cerca de quatro mil estudantes da rede municipal de ensino. O lançamento aconteceu em um dos auditórios da Secretaria Municipal de Educação e contou com a participação de cerca de 250 pessoas, entre gestores e professores de Língua Inglesa.
A partir do segundo semestre deste ano, professores e estudantes dos Anos Iniciais (Ensino Fundamental) passam a utilizar os materiais da Coleção “Joy!”, do selo educacional Sefe, da Editora Opet. Os materiais são de autoria da professora Vera Lúcia Rauta, pós-graduada em Ensino de Línguas Estrangeiras Modernas pela UTFPR, tradutora de livros da área médica e formadora pedagógica da Editora Opet.
Antes de serem selecionados para a parceria, os materiais da Coleção “Joy!” foram cuidadosamente analisados pela Secretaria de Educação, que também se reuniu com a autora, professora Vera Rauta, para conhecer os fundamentos e as articulações pedagógicas do trabalho.
Agradecimento – Durante a cerimônia, a superintendente da Editora Opet, Cristina Swiatovski, falou sobre a grande alegria que é firmar uma parceria com a capital paranaense. “O Grupo Educacional Opet nasceu em Curitiba há quase 50 anos. Hoje, temos entre nossos parceiros cidades como Fortaleza, Sobral, Santana de Parnaíba, Chapecó e Paranaguá. E, por incrível que pareça, nunca havíamos fechado uma parceria com nossa própria cidade! Isso está acontecendo agora, em um momento muito especial, de inovação e promoção do conhecimento. Estamos muito agradecidos!”.
Pela parceria, a Editora Opet cederá os materiais didáticos aos professores e estudantes, e o município bancará as formações e assessoria pedagógica dos docentes.
Inovação – A secretária municipal de Educação de Curitiba, Maria Sílvia Bacila, destacou a importância da parceria em um momento em que a educação pública curitibana trabalha para avançar ainda mais em qualidade, focando em aspectos como a inovação e a internacionalização.
“Eu fico grata pela Editora Opet abraçar essa causa junto conosco. Estamos efetivamente democratizando o acesso a línguas estrangeiras a todos os alunos da nossa rede municipal pública de ensino que já estejam em um momento da alfabetização em que há possibilidade de aprender uma segunda língua.” Além do Inglês, a prefeitura também vai oferecer as disciplinas de Italiano e Espanhol.
Afeto pela Língua Inglesa – Na noite de ontem, logo após o lançamento oficial da parceria, a professora Vera Rauta falou pela primeira vez aos professores. Ela explicou sua relação de afeto pela Língua Inglesa, surgida quando ainda estudava na escola pública, e detalhou seu caminho como professora de Inglês.

Biologia: reforço estratégico para o material do nono ano da Coleção Cidadania

A aproximação com os parceiros é um diferencial da Editora Opet. A partir dela, estamos atendendo a um pedido de escolas privadas que utilizam os materiais da Coleção Cidadania – Anos Finais. De olho na preparação dos estudantes para o Ensino Médio, o vestibular e o Enem, elas solicitaram a inclusão de conteúdos de Biologia ao livro de Ciências do 9º ano do Ensino Fundamental, que tem como foco a Física e a Química.

E nós atendemos à demanda: nos últimos meses, o professor de Biologia José Augusto Real Limeira, um dos nossos editores, está trabalhando bastante para oferecer materiais complementares de alta qualidade. “Estamos resgatando conteúdos de Biologia abordados no 6º, 7º e 8º anos, e agregando a eles conceitos centrais da área de conhecimento que serão vistos no Ensino Médio. A proposta é instrumentalizar os alunos do 9º ano com os principais fundamentos das Ciências da Natureza, proporcionando o seu ingresso no Ensino Médio com uma boa base para estudos mais aprofundados, incluindo conteúdos e resolução de situações-problema apresentados por questões de vestibulares e de Enem”, explica José Augusto.


Os conteúdos, que estão sendo oferecidos em formato digital – e que em 2020 serão agregados aos livros físicos –, compreendem temas de Citologia, Genética, Ecologia e Evolução. A sequência didática proposta, explica José Augusto, visa otimizar o estudo e fazer os estudantes raciocinarem de forma mais aprofundada. “Oferecemos uma proposição teórica, provocações para o estudo por meio de atividades de complexidade gradativa e sugestões de conteúdo digital, como vídeos e animações, que possibilitam o estudante concretizar de forma mais dinâmica a aprendizagem de conceitos centrais da Biologia abordados na unidade. As atividades propostas iniciam com questões que solicitam a construção de conceitos centrais, passando pela resolução de questões abertas que instigam a análise e a interpretação, culminando na resolução de questões de vestibulares e de Enem. Nessa perspectiva, pretende-se mobilizar e instrumentalizar gradativamente os estudante em seu processo de aprendizagem.”

“Diálogos Pedagógicos 2019”: sucesso com as escolas privadas do RN

Para a Editora Opet, é fundamental debater temas ligados à escola. Aproximar pessoas, dialogar e trazer informações que permitam avançar cada vez mais na direção de uma educação humana, cidadã e transformadora. Foi com essa perspectiva que, no último sábado (06) realizamos em Natal a edição de 2019 dos “Diálogos Pedagógicos”, que reuniu cerca de 160 participantes. Em sua maioria, mantenedores, gestores e professores de escolas privadas que utilizam os materiais e ferramentas pedagógicas Opet Soluções Educacionais no Estado do Rio Grande do Norte.

Ao longo de toda a manhã, os participantes puderam debater dois temas importantes da educação brasileira. O primeiro foi a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e as competências do professor, apresentado pela professora, pedagoga e psicopedagoga Rúbia Cristina dos Santos, supervisora pedagógica da Editora Opet. E o segundo foi a Inteligência Socioemocional em uma perspectiva da escola, trazido pelo professor Julio César Luchmann, mestre em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

Conhecimento que agrega – Janaína Ferreira de Oliveira é mantenedora da escola Cardoso Júnior, de Natal. Segundo ela, eventos como os “Diálogos Pedagógicos” agregam bastante ao trabalho dos educadores. “Estamos aqui ganhando e multiplicando conhecimentos. Isso nos motiva muito!”, observa. Ela, que é parceira da Editora Opet há pouco mais de um ano, destaca o valor do trabalho realizado até agora. “A parceria com a Editora Opet é muito proveitosa. Temos respaldo em nossas questões e um apoio importante da assessoria pedagógica.”

Para Maria Cláudia da Silva, coordenadora e orientadora pedagógica da Educação Infantil do Colégio Prince, também de Natal, os “Diálogos” trazem algo diferente ao trabalho pedagógico – uma perspectiva mais ampla. “Ao reunir educadores de várias instituições, com suas questões e olhares, esse encontro fortaleceu o processo educacional. Isso é muito importante.”

Edilma da Silva Cortez, do Centro Integrado de Vivências Educacionais (CIVE), parceiro no município de Currais Novos, ressaltou a importância do tema do encontro deste ano. “A reflexão sobre a BNCC e as competências que devem ser desenvolvidas com o estudante é essencial. Temos focado muito essas habilidades em nossa escola.” Ela também destacou a importância da parceria com a Editora Opet, iniciada em 2017. “A filosofia da Editora Opet é muito próxima à filosofia da nossa escola, de experimentar e vivenciar os conhecimentos. Isso fortalece muito o trabalho pedagógico.”

Um diálogo especial – A supervisora pedagógica da Editora Opet no Rio Grande do Norte, Janaína Bezerra, destaca o valor dos Diálogos Pedagógicos na parceria com as escolas. “É um momento coletivo de diálogo e trocas com os mantenedores. Esse trabalho, aliás, é diferente do trabalho formativo e de assessoria que realizamos com cada escola ao longo ano. Ficamos muito felizes em observar que os participantes gostaram. Eles saíram satisfeitos!”, observa.

“Malabarizando” com a equipe pedagógica da Editora Opet

O que malabarismo tem a ver com educação? Quando pensamos nas muitas tarefas de um professor, gestor ou assessor pedagógico, a comparação com um artista capaz de lançar e controlar bolinhas ou malabares faz todo sentido. Foi essa a tônica do “Malabarizando”, vivência lúdica baseada em progressões pedagógicas que, na última segunda-feira, reuniu a equipe do departamento pedagógico da Editora em Curitiba. A formação abriu as atividades formativas do segundo semestre.


“Em relação à fundamentação e estudos, nós já havíamos feito formações. Seria necessário refletir sobre a dinâmica do trabalho. E foi daí que surgiu o tema do malabarismo e a transposição simbólica dele para o que fazemos”, explica a gestora do Pedagógico, Cliciane Élen.
Cada assessor produziu suas próprias bolinhas e, com o apoio de um facilitador – o professor Danilo Faria, professor de Educação Física -, começou a lançá-las. A meta: lançar e controlar três bolinhas, primeira etapa do aprendizado do malabarismo. Durante o processo, eles refletiram sobre motivação, qualidade, mudanças e trabalho em equipe, relacionando cada elemento à tarefa realizada.
Aos poucos, foram dominando as técnicas básicas em um processo que também mostrou o valor do compartilhamento. “Em termos simbólicos, cada bolinha representa um elemento da nossa existência. O trabalho com os dois selos educacionais (Sefe e Opet Soluções), mudanças nas leis educacionais e outras demandas que surgem no dia a dia, por exemplo.” Em um segundo momento, os assessores escreveram uma lista de suas “bolinhas”, ou seja, de seus principais desafios na empresa.
Cliciane destaca o valor da atividade, especialmente, em relação ao fortalecimento da equipe e do trabalho conjunto. “Com as bolinhas, conseguimos fazer uma transposição simbólica dos desafios. A cada técnica nova, parávamos e fazíamos uma observação. E vimos como, com apoio mútuo, fica muito mais fácil controlar as próprias bolinhas, ou seja, as próprias tarefas que constituem o nosso trabalho”, observa Cliciane.


Esse trabalho, vale observar, pode e deve ser compartilhado pelos assessores nas muitas formações que serão realizadas no segundo semestre. O malabarismo é considerado um instrumento pedagógico criativo e instigante em várias áreas do ensino.

Ubajara, parceiro Opet no Ceará, celebra conquista do prêmio Escola Nota 10

O último sábado (29) foi de festa em Ubajara, município parceiro da Editora Opet no Ceará. A prefeitura celebrou a conquista do prêmio “Escola Nota 10”, um dos mais importantes da educação público cearense. Ao todo, sete escolas municipais receberam o prêmio, o que colocou Ubajara na primeira colocação entre os oito municípios que compõem a microrregião de Ibiapaba, no noroeste do Estado.
O prêmio “Escola Nota 10” tem como base os resultados da alfabetização ao final do 2º ano dos Anos Iniciais e das disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática ao final do 5º e 9º anos dos Anos Finais do Ensino Fundamental, obtidos a partir do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará, o SPAECE.
A secretária municipal de Educação de Ubajara, Susenilda Fernandes, destacou o compromisso da atual gestão com as escolas e, também, o valor da parceria com a Editora Opet. “Nós conhecemos os materiais do selo Sefe, da Editora Opet, em um seminário em Sobral. E percebemos que, com eles, teríamos um apoio importante ao nosso trabalho. Quando a parceria foi firmada, tivemos acesso a materiais de qualidade, assim como a formações e assessoria de qualidade.”

Professores de Ubajara na premiação do “Escola Nota 10”.


Susenilda ressaltou a atenção especial dada pelo município à Educação Infantil. “Estamos nos voltando para a base, para a Educação Infantil, que é muito importante.” E é exatamente esse o foco da parceria com a Editora Opet, que atende crianças e professores do Berçário ao Infantil 5.
O supervisor pedagógico da Editora Opet para o Ceará, Glaylson Rodrigues, parabenizou o município e destacou o empenho de todos por uma educação de alta qualidade. “A participação do prefeito, da secretária, dos gestores e, especialmente, dos professores, é fundamental. Somos sempre muito bem acolhidos e notamos o envolvimento das pessoas no processo da educação. O sucesso de Ubajara vem daí!”, observou.

O prefeito Rene de Almeida e o supervisor pedagógico Opet, Glaylson Rodrigues, na entrega dos materiais para o segundo semestre.


A premiação aconteceu em uma grande festa na sede da secretaria municipal de Educação, que reuniu professores, gestores, secretários e o prefeito Rene de Almeida Vasconcelos. Junto, aconteceu a entrega dos materiais da Editora Opet – do selo Sefe – para o segundo semestre. Em Ubajara, crianças e professores utilizam os livros da Coleção “Entrelinhas para Você”.

“Educação que aproxima”: colaboradores conhecem o Conceito de 2019 da Editora Opet

Educação que aproxima as pessoas do conhecimento, as famílias da escola e o mundo de uma convivência mais pacífica. Na tarde de segunda-feira (18), os colaboradores da Editora Opet conheceram oficialmente o Conceito 2019, que vai nortear a nossa comunicação ao longo deste ano. A apresentação foi feita pelo time de marketing da Editora e teve como ponto de partida uma dinâmica de sensibilização que envolveu os colaboradores. Eles receberam  adesivos com perguntas sobre sua própria vida, gostos e interesses, e compartilharam as respostas em pequenos grupos. A ideia da dinâmica foi reforçar o ponto essencial do Conceito, que é a aproximação (“Educação que Aproxima”).

“Um conceito não é só uma frase, mas uma identificação e um posicionamento da empresa, especialmente em relação à parte pedagógica. Ele é fundamental para o nosso relacionamento com as escolas e com a sociedade”, diz a superintendente da Editora Opet, Cristina Swiatovski, que abriu a apresentação. Segundo ela, o Conceito de 2019 responde a indagação proposta pelo Conceito do ano anterior, “Para onde o Conhecimento vai te levar?”. “Em 2018, propusemos uma indagação, algo especialmente criado para mexer e fazer pensar. Agora, fazemos uma afirmação: a educação aproxima. E essa ideia é muito interessante e muito importante para a educação.”

Muito trabalho – Após a dinâmica, os colaboradores conheceram o Conceito 2019 em detalhes, em uma apresentação feita pelo time de Marketing da Editora. O Conceito, vale lembrar, nasceu ao longo de meses de trabalho intenso, e foi marcado pela participação, em reuniões, de colaboradores.

“Nesses encontros, conhecemos o olhar de cada setor da Editora e do Centro Logístico. Foi uma contribuição muito importante para que pudéssemos construir um Conceito que espelhasse quem somos”, avalia a coordenadora de Marketing da Editora, Deisi Cabrini. Ela lembra que um dos desafios deste ano foi substituir e superar o Conceito de 2018, que fez grande sucesso junto a clientes e prospects da Editora. “O Conceito de 2019 seguiu por uma linha diferente, menos lúdica e com uma linguagem gráfica mais elegante. Também deixamos de lado a presença de personagens, mas não abrimos mão de valorizar o protagonista da educação, que é o estudante.”

José Augusto Limeira é editor na equipe editorial Opet. Para ele, o Conceito 2019 surpreendeu. “Essa ideia de aproximação é genial. Ele vai levar as pessoas a pensar em formas de fortalecer as aproximações que já existem e gerar novas aproximações. Dentro e fora da empresa.”

“Eu achei o Conceito inspirador! Ele chama muito a atenção – é algo para ser visto”, diz Jhoice Vieira Zaions, colaboradora da equipe de Faturamento. Ela gostou da ideia de aproximação, que se reflete em várias coisas – na família, na escola e no trabalho –, e se encantou com a arte. “As imagens não tratam apenas de educação, mas de um todo da vida da criança. Além disso, são peças bem coloridas, que se destacam.”

Na segunda-feira, o Conceito 2019 também foi apresentado aos colaboradores do escritório da Editora em Fortaleza. E, na terça-feira (19), aos colaboradores do Centro Logístico Opet em Colombo (PR).

Bett Educar – Deisi Cabrini explica que o Conceito ganhará grande visibilidade na Bett Educar 2019, a maior feira de educação da América Latina, que acontece em maio na cidade de São Paulo. “O estande da Editora Opet está sendo totalmente construído a partir do Conceito. Teremos um espaço muito agradável e atraente. A ideia é aproximar as pessoas e nós vamos fazer isso”, explica. Em breve, a comunicação do Conceito começará a ser utilizada em nossa divulgação.

Confira mais imagens do lançamento em nossa conta do Pinterest.

Santana de Parnaíba: diálogo, experiências e informação para 2.400 professores e gestores municipais da Educação

A semana que passou foi de muito diálogo, aprendizado e troca de experiências para os professores e gestores da rede municipal de ensino de Santana de Parnaíba. Ao todo, 2.400 profissionais participaram da primeira formação pedagógica de 2019, realizada dentro da parceria com a Editora Opet. Santana é um dos principais parceiros da Editora Opet no Estado de São Paulo, e utiliza os materiais do selo Sefe – Sistema Educacional Família e Escola. A parceria abrange da Educação Infantil, a partir de três anos, até o Ensino Médio.

A gestora pedagógica da Editora Opet, professora Cliciane Élen, conta que a formação foi realizada por um grupo de 32 formadores e supervisores regionais, que conduziram o trabalho com os professores e os gestores (diretores, supervisores e equipes).

“Neste ano, também tivemos um momento muito especial, que foi uma palestra voltada especificamente aos funcionários das escolas não ligados diretamente à sala de aula”, explica Cliciane. “São pessoas que desempenham um papel importante para o bom funcionamento das escolas, e que também são educadores.”

Outro momento importante foi com os gestores, com foco para aqueles que entraram recentemente na rede municipal. “Esses coordenadores, diretores e vice-diretores estão aprendendo todos os processos da gestão. Nós, como parceiros, fazemos parte dessa orientação e dessa reflexão sobre a função.”

Cliciane se disse muito satisfeita com o que viu e ouviu nas várias salas de aula e espaços que receberam a formação. “Ouvi, de professores e gestores, que nós, da Editora Opet, somos uma parte importante da construção da educação em Santana de Parnaíba. Isso nos anima a avançar cada vez mais”, observa.

Cada vez melhor – “O material vem melhorando a cada ano e nos proporciona a ampliar o conhecimento e, com isso, aplicá-lo da melhor forma possível”, diz a professora Val Lage, do Colégio Luís Carlos Barbosa. “Juntando isso ao ambiente e às condições de trabalho, vemos porque a educação em Santana de Parnaíba vem melhorando a cada ano. Estão de parabéns.”

Confira imagens da formação!

(*) – Com informações da ASCOM/Santana de Parnaíba

Um “Raio-X” da equipe pedagógica Opet

Equipe de assessores e supervisores pedagógicos da sede da Editora Opet, em Curitiba.

Em entrevista exclusiva, a gestora pedagógica da Editora Opet detalha a estrutura e o trabalho da nossa equipe pedagógica.

Há alguns meses, Cliciane Élen – professora, pedagoga, neuropsicopedagoga e mestranda em Educação – assumiu a gerência pedagógica da Editora Opet. Colaboradora com bastante tempo de casa, ela conhece em detalhes o trabalho desenvolvido pelos assessores pedagógicos nos municípios e nas escolas privadas parceiras Opet.

Entrevista a Rodrigo Wolff Apolloni

Qual é o papel da gerência pedagógica? Qual sua relação com os materiais pedagógicos?

Cliciane – A gerência pedagógica garante que todo o atendimento pedagógico acontecerá no prazo previsto, atendendo as expectativas dos parceiros, contribuindo para a formação desses profissionais que utilizam os materiais didáticos e, em especial, trazendo novas proposições para ampliar seus repertórios. Temos um olhar atento para o uso do material na formação do professor e sempre buscamos perceber o que podemos fazer a mais. Nosso papel é garantir, também, que nossa equipe esteja atualizada, para atender as pessoas da melhor maneira. Em outras palavras: nós olhamos para o todo o tempo todo, para verificar e garantir que estamos atendendo as expectativas dos nossos parceiros das escolas públicas e privadas.

É possível dizer que, entre as missões da equipe pedagógica, está a de “dar vida” aos conteúdos didáticos cristalizados nos materiais?

Cliciane – É isso mesmo. A equipe “dá vida” a tudo o que está registrado nos livros didáticos, até porque os livros são uma parte das nossas soluções. Eles são o ponto de partida, mas não “acontecem” sozinhos.  Daí a importância da relação entre o formador e o professor, lá na ponta. A formação cumpre esse papel. Sem a formação para o uso dos materiais, o professor atinge parcialmente os objetivos propostos com os estudantes. É possível até chegar a alguns resultados, mas não naquela plenitude que é possível e desejável. Sem a formação pedagógica correspondente, o uso do material fica limitado. Mesmo quando, como no caso da Editora Opet, temos materiais de alta qualidade.

Em que momentos se divide o trabalho da equipe pedagógica?

Cliciane – A formação de implantação do material didático é um momento indispensável. Uma boa implantação é fundamental para a sequência do trabalho. Em seguida vem a formação, que tem um caráter de continuidade do trabalho. Tanto que a nomenclatura mais correta seria “formação continuada”, porque o caráter é este. Por fim, temos a assessoria, que é feita pelos supervisores regionais. Assim, aqui temos dois momentos diferentes para grupos distintos: a formação, feita pelos formadores para os professores, e a assessoria pedagógica, feita pelos supervisores regionais com as secretarias e com as equipes gestoras. Essas ações, porém, se comunicam, elas não são estanques – os supervisores também vão aos professores. Nossa assessoria pedagógica é tão personalizada, tão voltada às demandas de cada parceiro, que é quase uma consultoria. Um trabalho que envolve implantação, formações, visita técnica, palestras, acompanhamento pedagógico e, a pedido dos parceiros, avaliações e uma base de dados.

Formação de professores

Formação pedagógica de início de ano letivo realizada com os professores de Paranaguá, no Paraná (2019). A formação é um momento de aprofundamento dos professores em relação aos conteúdos e ao uso dos materiais didáticos.

Qual é a estrutura da gerência pedagógica da Editora Opet?

Cliciane – Hoje, nós temos a matriz em Curitiba e outros dois polos, um em Natal e o outro em Fortaleza, para o atendimento dos parceiros públicos e privados no Nordeste. Dentro dessa estrutura geográfica, temos a gestora pedagógica, que sou eu, supervisores regionais, (que fazem o acompanhamento pedagógico e organizam toda a logística para os atendimentos), a supervisão pedagógica (que acompanha a elaboração dos planejamentos, das avaliações e de todas as formações) e equipe de assessores especialistas por aéreas e níveis da Educação – Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio, Arte e Educação Física. E contamos ainda com uma profissional que desenvolve todo nosso material de apoio, os layouts das nossas produções.

Qual é o perfil dos profissionais do nosso pedagógico?

Cliciane – Boa pergunta! Antes de mais nada, nossos profissionais são proativos e pesquisadores. Para fazer parte da nossa equipe é preciso, em primeiro lugar, ser um profundo interessado em educação, ir atrás de novas propostas, investigar o que já se tem, trocar experiências e trazer soluções para as questões do dia a dia. Quem trabalha em escola se depara com muitas situações envolvendo professores, estudantes, gestores e familiares. E, muitas vezes, se vê sem saber o que fazer. Uma de nossas missões é estabelecer diálogo com essa pessoa e auxiliá-la. Incentivando, articulando e trazendo propostas para a superação das questões. Assim, quando a gente faz todo esse esforço, tem toda essa vontade, é por um bem maior. Isso é o que nos motiva, que faz com que sejamos educadores.

Formação Educação Física

Em Pitanga (PR), professores de Educação Física participam de uma formação pedagógica com foco nas possibilidades de trabalho em atividades físicas, esportes e jogos.

Ao longo do ano, a equipe pedagógica se reúne várias vezes para dialogar, planejar, aprender e fortalecer o trabalho. Como funciona esse processo?

Cliciane – Há poucas semanas, realizamos o primeiro desses encontros, que foi chamado de “Alinhando as Ideias”. Nós olhamos para o nosso cenário, para os nossos parceiros em todo o país, professores, gestores e estudantes. E, nas discussões, também voltamos às nossas propostas, aos princípios que norteiam o nosso trabalho. Além disso, também trouxemos um palestrante externo, que nos falou sobre a arte da “escutatória”, com base na obra do Rubem Alves. Trabalhamos o ouvir, inclusive para fortalecer nossa capacidade de atender as demandas das escolas e dos municípios parceiros. Em termos figurados, a gente está sempre regando a planta para que ela floresça sempre, independente da época do ano. Sendo primavera ou não, precisamos florescer sempre. E isso vem da equipe, o que é muito legal.

Equipe Pesagógica

A “cara” do pedagógico da Editora Opet em março de 2019.

“É bom contar com um sistema de ensino que se adapta à realidade local”, afirma secretária de educação de Paranaguá sobre Editora Opet

A secretária municipal de Educação de Paranaguá, Vandecy Silva Dutra, fala sobre o papel da parceria com a Editora Opet para que a rede municipal de ensino supere seus principais desafios.

Como a senhora avalia a parceria entre Paranaguá e a Editora Opet?

Vandecy: Temos uma parceria com a Editora Opet, com a adoção dos materiais do selo Sefe, desde 2013. Seguimos com a parceria em 2017, quando começou a nova gestão, e assumimos com novos compromissos. Assumimos com uma nova postura em relação à formação dos gestores, com uma formação diferenciada para os professores – que é a formação no momento da hora-atividade, na formação pela própria escola. Nesse processo, a Editora Opet tem sido nossa parceria nessa formação.  Nós fizemos dois cursos de formação de gestores e temos a formação dos nossos professores. Neste momento, por exemplo, são duas semanas inteiras de trabalho por série, com a apresentação e o aprofundamento em relação aos materiais. É uma parceria de longa data, que vem dando bons frutos. E o melhor é a flexibilidade da Editora em atender as necessidades do nosso município. É bom ter um sistema de ensino que se adapte à realidade local. Essa é a parte mais importante nas formações.

A Editora Opet promove o Prêmio Ação Destaque, que reúne projetos importantes desenvolvidos por gestores e professores de todo o país a partir dos materiais e da proposta do Sefe. E Paranaguá sempre aparece entre os finalistas. Como a senhora avalia o envolvimento dos professores com os materiais Sefe?

Vandecy: A formação alimenta esse desejo e essa vontade de ensinar melhor. O Prêmio incentiva boas práticas dentro da escola. Ele faz com que os professores se sintam valorizados e saibam que, ao final do trabalho, podem ser premiados. Nós começamos com uma vencedora, que serviu como multiplicadora em um processo. É uma roda virtuosa, que nasce na formação pedagógica.

Estamos vivendo um momento novo na educação brasileira. Como a senhora avalia o papel da parceria nesse novo cenário e quais são as perspectivas?

Vandecy:  É um ano de grandes mudanças e estamos nos adaptando às novas políticas governamentais. Mas, nós temos um objetivo único, que é avançar na educação das nossas crianças. Queremos que nossos alunos atinjam um nível de conhecimento e de aprendizagem mais do que satisfatório. E, neste ano, para provar isso, nós temos o IDEB. Nossa meta, para o IDEB, é ousada, e a Editora Opet vem agregar a esse trabalho que estamos desenvolvendo para a qualidade do ensino. Assim, dentro da nossa parceria, teremos três simulados, a formação dos professores dos quintos anos e seguimos com a formação dos gestores. Tudo para a melhoria da qualidade de ensino. A Editora Opet é nossa parceira nesse processo.

Formação pedagógica envolve 1.200 profissionais em Paranaguá

Ao longo de toda esta semana, os cerca de 1.200 professores da rede municipal de ensino de Paranaguá, assim como os gestores da educação, estão participando da primeira grande formação pedagógica do ano, realizada em parceria com a Editora Opet. Paranaguá e a Opet são parceiros educacionais desde 2013 e desenvolvem um trabalho com os materiais didáticos do selo Sefe – Sistema Educacional Família e Escola. Esses materiais são utilizados pelas crianças do nível Infantil 5 e pelos estudantes do Ensino Fundamental – Anos Iniciais (1º ao 5º ano), além do Ensino Especial e dos componentes curriculares de Língua Inglesa (para o quinto ano) e Educação Física. Os professores e estudantes utilizam as coleções “Trilhas” (Educação Infantil), “Caminhos e Vivências” (Ensino Fundamental) e “Joy!” (Língua Inglesa), do selo Sefe – Sistema Educacional Família e Escola.

A formação, que está sendo realizada no campus da UNESPAR, é feita pelos assessores pedagógicos da Editora Opet, que estão trabalhando com os professores de um nível da educação em cada dia. Esse processo, como explica o supervisor regional da Editora para Paranaguá, Nelson Bittencourt, envolve o aprofundamento nos temas dos materiais, assim como a troca de experiências, o esclarecimento de dúvidas e o diálogo. “A formação é um momento importante de troca de informações e de escuta das demandas dos professores em relação aos materiais e ao fazer pedagógico. Em Paranaguá, esse momento funciona muito bem porque o envolvimento dos professores é, sempre, muito grande.”

Parceria em ação – Silvana Rodrigues da Silva é professora há 15 anos na rede municipal de ensino de Paranaguá e acompanhou a parceria com a Opet desde seu primeiro momento. Para ela, as formações pedagógicas são estratégicas para o sucesso em sala de aula. “Temos a oportunidade de trocar experiências inovadoras, que são compartilhadas e levadas para as escolas. Além disso, o suporte do Sefe é grande.” Segundo Silvana, a riqueza dos materiais facilita o trabalho. “Os conteúdos conversam entre si, e isso nos ajuda muito em sala de aula.”

Luciana Vasson é professora da rede municipal há dez anos e dá aulas para os estudantes do 2º e do 5º ano. Em sua avaliação, as formações pedagógicas ajudam os docentes a superar dúvidas e aflições. “Quando a gente reúne várias pessoas para falar sobre o trabalho e sobre os materiais, vê que as dificuldades são as mesmas e as soluções também. A formação vem bem ao encontro dessas questões e o Sefe nos dá todo o apoio.” Luciana, que também é gestora do Programa Nacional da Alfabetização na Idade Certa (PNAIC), vê os materiais Sefe integrados às grandes questões nacionais da educação. “Com esses materiais e com esse trabalho, não vemos apenas o nosso próprio ‘mundinho’, mas o cenário de toda a educação brasileira.”

Fernanda Villanueva é professora há 24 anos, e trabalha com turmas do 2º e 4º anos do Ensino Fundamental. Ela considera os materiais Sefe ricos em termos de conteúdo, o que faz, inclusive, com que os estudantes se envolvam mais. “Está tudo ali, nos livros, e isso contribui para o sucesso do nosso trabalho.” Para ela, as formações pedagógicas dão um norte para o trabalho ao longo do ano. “Sem a formação, ficamos um pouco perdidos. Com ela, conseguimos traçar nossos objetivos.”

Silvana, Luciana e Fernanda, professoras da rede municipal de ensino de Paranaguá

Gestores – Nesta sexta-feira (22), acontece a formação com os gestores, que terá como tema a relação entre família e escola – como aproximar as famílias da educação e aprofundar esta parceria. Nelson Bittencourt explica que, na proposta de trabalho da Editora Opet, essa relação é fundamental. “Quanto mais próxima da escola estiver a família, melhores são os resultados pedagógicos”, observa.

A parceria com o município de Paranaguá é especialmente importante para a Editora Opet. “Em Paranaguá, temos um alto grau de comprometimento das pessoas com a educação. Lá, a educação acontece de fato”, resume Nelson Bittencourt. Ele destaca, por exemplo, o sucesso dos professores de Paranaguá no Prêmio Ação Destaque, promovido anualmente pela Editora Opet com parceiros da educação pública de todo o país. O prêmio promove projetos pedagógicos que se destacam por sua alta qualidade. “A participação de Paranaguá é, sempre, muito interessante. Todos os anos temos, ao menos, um premiado do município. Em um ano, chegamos a premiar três projetos educacionais parnanguaras”.