Como manter o ensino remoto na Educação Infantil?

O ensino remoto, solução que ganhou força neste período de pandemia, é altamente desafiador, recebendo atenção extra de professores e familiares interessados em garantir a qualidade do processo de ensino-aprendizagem. Na Educação Infantil, há questionamentos sobre a necessidade de se manter o ensino remoto e também sobre como é possível ter aulas virtuais com crianças tão pequenas. Neste artigo, falaremos um pouco sobre o papel da Educação Infantil no desenvolvimento da criança e porque é importante que a família esteja engajada nas atividades remotas junto à escola.

 

Mas, afinal de contas, qual o papel da Educação Infantil?

Na Educação Infantil, trabalhamos capacidades essenciais para o desenvolvimento do ser humano. Os primeiros anos de vida são extremamente importantes para o desenvolvimento das habilidades sociais e expressivas. Além disso, as atividades aplicadas na escola têm o intuito de estimular o desenvolvimento cognitivo e intelectual da criança, preparando-a para processos mais profundos de aprendizado, como a alfabetização, por exemplo. A ludicidade, que é importante em vários níveis, mas especialmente na Educação Infantil, é utilizada de forma direcionada e com teor didático para conduzir tudo.

Em suma, é na Educação Infantil que trabalhamos as potencialidades das criança enquanto ser social, intelectual e emocional, valorizando seus conteúdos e apresentando as cores, formas, sons, rostos e gostos do mundo.

 

Como manter as atividades da educação infantil durante o isolamento?

Os professores da Educação Infantil, assim como dos outros níveis, têm trabalhado para que as atividades e conteúdos possam chegar até os estudantes. Obviamente, toda a interação emocional e sensorial que o professor promove na sala de aula presencialmente não acontece da mesma forma no ambiente virtual. Porém, é importante utilizar esses recursos nas aulas remotas para manter o contato entre as crianças e professores, pois a relação pessoal na Educação Infantil é extremamente importante.

A realização das atividades, é claro, acontece de forma diferente. Na maioria das vezes, quem auxilia as crianças na resolução é a família. É comum ver familiares inseguros em relação a essa nova tarefa de orientar os estudantes nas atividades da escola. Porém, essa interação pode ser extremamente valiosa e trabalhar uma aproximação familiar que pode trazer mais autoestima, autoconfiança e resiliência para as crianças, pois elas veem apoio no seu núcleo de convivência.

Por isso, é importante compreender, que nesse contexto de isolamento, é importante rever e adaptar a dinâmica familiar para que os estudantes tenham adultos a quem podem recorrer quando precisarem de algum apoio. E isso vale, sobretudo, para as crianças da educação infantil.

Nós, da Editora Opet, estamos engajados em contribuir para melhorar a experiência de estudantes, educadores e familiares nesse momento difícil. Por isso, desenvolvemos as Sequencias Didáticas, materiais desenvolvidos com uma linguagem clara e objetiva que pode ser utilizado por professores e pais para a realização das atividades escolares. O material de Educação Infantil é super completo, lúdico e interativo, e nossas ferramentas digitais – as plataformas Inspira e Google for Education – são o que existe de mais moderno em educação remota.

Confira o conteúdo no link abaixo e depois nos conte o que achou.

https://www.editoraopet.com.br/noticias.php

A importância da Ludicidade na Educação Infantil

Ludicidade é um termo que tem origem na palavra latina “ludus”, que significa jogo ou brincar. Na educação, usamos o conceito do lúdico para nos referir a jogos, brincadeiras e qualquer exercício que trabalhe a imaginação e a fantasia. A ludicidade é um instrumento potente para o processo de ensino-aprendizagem em qualquer nível de formação, mas está presente com mais frequência na Educação Infantil. Isso porque, na infância, a forma como a criança interpreta, conhece e opera sobre o mundo é, naturalmente, lúdica.

Falaremos hoje sobre a importância de valorizar e incentivar o uso da ludicidade na educação infantil, para que, por meio das brincadeiras, a criança desenvolva melhor suas habilidades cognitivas, sociais e psicomotoras.

 

Habilidades cognitivas

O brincar desempenha um papel extremamente importante na constituição do pensamento infantil. É através dele que se inicia uma relação cognitiva do indivíduo com o mundo de eventos, coisas, símbolos e pessoas que o rodeia. A partir da brincadeira, a criança reproduz o discurso externo, o internaliza, interpreta e constrói seu próprio pensamento. Essa acaba sendo a linguagem infantil, à qual Vygotsky (1984) atribui um importante papel para o desenvolvimento cognitivo à medida que sistematiza as experiências e colabora com a organização dos processos em andamento.

Por isso, devemos valorizar e direcionar a brincadeira, quando utilizada como instrumento pedagógico. Processos de pré-alfabetização, por exemplo, podem acontecer de forma natural e fluida quando realizados à partir da ludicidade.

Porém, é preciso tomar muito cuidado para não tirar a brincadeira dessa roupagem natural, pois o lúdico é uma metodologia pedagógica que ensina brincando e tem objetivos, mas nunca cobranças.

 

Habilidades Socioafetivas

Ao brincar, a criança desenvolve uma relação afetiva com o mundo, com os objetos e, principalmente, com as pessoas ao seu redor. Isso faz com que ela se depare com limites, vontades, desejos e interpretações diferentes das suas, havendo, então, uma troca valiosa que constrói suas habilidades sociais. Ao entrar em contato com diferentes perspectivas e personalidades enquanto brinca, a criança alinha suas capacidades emocionais à convivência e à coexistência.

Trabalhar os conceitos de cooperação, coletividade e trabalho em grupo através de brincadeiras com a turma, ou mesmo em casa com a família, desenvolve noções de respeito e igualdade em relação ao outro, valores que são extremamente importantes para a convivência em sociedade.

 

Habilidades Psicomotoras

Muito se fala dos efeitos alienadores do uso excessivo de tecnologias e jogos digitais na infância. Isso afeta, além das habilidades sociais, o desenvolvimento psicomotor da criança, pois limita os estímulos que ela recebe a uma fonte inorgânica e artificial de conteúdos. Isso não faz desse tipo de recurso algo a ser completamente negado – ele, por certo, também tem seu espaço. Porém, correr, pular, dançar, escalar e conhecer o mundo através dos instintos e dos sentidos fazem com que a criança explore melhor seu próprio corpo. Isso, atrelado à ludicidade, traz habilidades como autoconfiança, autoestima e superação, eliminando inseguranças em relação ao mundo externo e às limitações internas.

Na escola, as brincadeiras de corda, pega-pega, circuitos, gincanas, esportes e dança são atividades que devem ser frequentes, pois, além de trazer benefícios individuais, fazem com que o cotidiano seja mais dinâmico e atrativo, tanto para as crianças quanto para os professores.

Ludicidade como metodologia significa respeitar a interpretação da criança sobre o mundo e o lugar que ela ocupa nele. Através do lúdico, a criatividade, curiosidade e o desejo por saber acontecem de maneira natural, ampla e fluida, fazendo com que a educação aconteça de forma emancipadora, afetiva e plural.

Separamos dois artigos científicos que abordam o tema da ludicidade da educação infantil para que você possa continuar o estudo, se desejar.

Para mais conteúdos como esse, acompanhe o blog e as redes sociais da Editora Opet. Estamos sempre buscando melhorar o mundo e as relações através de uma educação que aproxima e liberta.

 

Sugestões de leitura:

  • A Importância do Lúdico na Educação Infantil – Fábio A. Porangaba, Sandra de Souza M. Porangaba e Silvane de Souza Meneses.

http://www.lambaridoeste.mt.gov.br/secretarias/educacao-e-cultura/artigos-dos-professores/59/view/672

  • A Ludicidade Construindo a Aprendizagem de Crianças na Educação Infantil – Ana Maria da Silva

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/educacao/a-ludicidadeconstruindo-a-aprendizagem-de-criancas-na-educacao-infantil/50878

“Feito Criança”: Editora Opet apresenta sua nova coleção para a Educação Infantil

A Editora Opet apresentou oficialmente nesta semana sua nova coleção didática para a Educação Infantil, “Feito Criança”. Escrita pela pedagoga e editora pedagógica Ross Mary Strano Vieira (foto), a Coleção foi a primeira a ser inteiramente desenvolvida dentro do novo conceito editorial Opet. Esse conceito integra os materiais impressos a uma poderosa plataforma de recursos digitais.


No segmento público, ela vai substituir a Coleção “Brincar e Pensar”, escrita pela professora Regina Shudo, e também passará a ser oferecida como produto alternativo aos municípios parceiros no Ceará. No segmento privado, ela será disponibilizada no sistema de E-commerce da Editora Opet, com foco em escolas de menor porte.


“A Coleção Feito Criança foi organizada e escrita a partir de três grandes documentos: as Diretrizes teórico-metodológicas da própria Editora, que são fruto de uma ampla reflexão e de muito trabalho com educação, as Diretrizes Nacionais para a Educação Infantil e a Base Nacional Comum Curricular, que orienta a elaboração dos currículos para todo o país”, explica Ross Mary.
“A ideia é respeitar a realidade e promover o protagonismo da criança. É ela, afinal, que vai elaborar e vivenciar as experiências a partir do trabalho desenvolvido pelo professor.”


No caso dos professores, eles têm uma orientação detalhada, página a página, para o trabalho com a coleção. Além disso, eles contam com os recursos digitais da Plataforma Opet, que abrangem toda a fundamentação pedagógica do material, vídeos, contos tradicionais, músicas, materiais relativos a datas comemorativas e muitas atividades que podem ser desenvolvidas em sala e em outros ambientes de aprendizado, inclusive o da família.


A Coleção – Os livros da Coleção Feito Criança são anuais, isto é, há um livro para cada um dos cinco anos da Educação Infantil. “Nós escrevemos cada livro pensando nas possibilidades de trabalho fora da mesinha”, explica Ross Mary. “O material didático não tem a função de fazer a criança ficar sentada por horas fazendo tarefas. Ele propõe várias vivências fora da mesinha e até fora da sala de aula, e são elas que vão trazer desenvolvimento e aprendizagem para a criança. E, no retorno, é que ela vai registrar no material o que viveu. Ou seja: é um material fisicamente um pouco mais enxuto, mas com uma gama de vivências e possibilidades muito grande.”


Ross Mary acredita no sucesso da Coleção Feito Criança. “Foi um trabalho de muitos meses, que envolveu muitas pessoas – inclusive, a professora Regina Shudo, que fez a consultoria pedagógica – e muito cuidado em todos os aspectos, da iconografia à revisão de língua. E o material ficou alegre, comunicativo, atraente para a criança e interessante para o trabalho do professor.”


Sobre a autora – Ross Mary Strano Vieira é formada em Letras e Pedagogia, com especialização em Educação Infantil e em Literatura Infantil. Ela trabalha na Editora Opet há 15 anos.

Sobral e Editora Opet ampliam parceria na educação municipal

Em 2019, os 2.500 estudantes do segundo ano do Ensino Fundamental da rede municipal de ensino de Sobral vão utilizar os materiais didáticos desenvolvidos pela Editora Opet. A parceria para o repasse das coleções didáticas, formações e acompanhamento pedagógico foi assinada ontem (quinta-feira, 25) pelo prefeito municipal, Ivo Gomes, e pela superintendente da Editora Opet, Cristina Swiatovski. A assinatura contou com a participação do secretário municipal de Educação, Francisco Herbert Lima Vasconcelos.

Desde o ano de 2018, Sobral utiliza os materiais da Editora Opet para a primeira etapa da Educação Infantil, mais exatamente os anos iniciais (Infantil Bebê e Infantil I). Essa parceria, que também inclui a formação e acompanhamento pedagógico dos professores, atende 730 crianças e suas famílias, que adotam os livros da “Coleção Primeira Infância (+0)”, material finalista do Prêmio Jabuti.

“Ao todo, em 2019 a parceria vai atender 3.230 estudantes. Ficamos muito felizes em participar da educação de Sobral, que ensina tanto ao país, e de colaborar para que ela avance ainda mais”, disse a superintendente da Editora Opet, Cristina Swiatovski.

O prefeito Ivo Gomes, a superintendente Cristina Swiatovski e o secretário Francisco Herbert Lima Vasconcelos durante a assinatura da parceria entre Sobral e a Editora Opet.

A Editora Opet é parte do Grupo Educacional Opet, fundado em Curitiba no ano de 1973. Atualmente, suas coleções de materiais didáticos e paradidáticos estão presentes em escolas públicas e privadas de todo o país – apenas na área pública, são atendidos 120 municípios de 17 Estados (75 mil estudantes do Ensino Fundamental). As parcerias abrangem a oferta de coleções didáticas e paradidáticas, que chegam às escolas apoiadas por um trabalho pedagógico sério e dedicado. Ele inclui a implantação dos materiais e a formação pedagógica dos docentes, além do acompanhamento e do diálogo permanente com os gestores.

No Ceará, por meio do selo educacional Sefe, a Editora Opet participou ativamente do Programa de Alfabetização na Idade Certa (PAIC) e, hoje, desenvolve um trabalho importante com os professores de Fortaleza. A parceria com a capital do Ceará foi firmada em 2013 e atende 32 mil estudantes da Educação Infantil (níveis 04 e 05) e do Ensino Fundamental (2º ano) com coleções de livros, formações e assessoramento pedagógico de docentes e gestores.

As Coleções – Em Sobral, o trabalho com a Educação Infantil utiliza os materiais da “Coleção Primeira Infância: Eu na escola + 0 e Eu na escola + 1”, que apresenta um olhar especial para a primeira etapa da educação. Além de reforçar os laços entre as famílias e as instituições educativas, os livros trazem propostas de vivências e proporcionam o registro das experiências vividas pelas crianças na instituição educacional, de forma a construir um portfólio com textos, imagens e músicas que criam um ambiente rico em experiências e brincadeiras. Para os educadores, oferece materiais que os levam à reflexão sobre o trabalho pedagógico com crianças bem pequenas, oferecendo práticas voltadas para a criança com a participação da família.

Capa do material da “Coleção Primeira Infância +0”, que é utilizado pelas crianças dos níveis Infantil Bebê e Infantil I.

No caso dos professores e estudantes do 2º ano do Ensino Fundamental, serão adotados os livros da “Coleção Caminhos e Vivências”, composta por livros didáticos e de apoio que contemplam os componentes curriculares obrigatórios para esta etapa da educação: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História, Geografia e Arte. As propostas de ensino permitem o trabalho interdisciplinar, preservam a especificidade de cada componente curricular e observam os Elementos Conceituais e Metodológicos para Definição dos Direitos de Aprendizagem e Desenvolvimento do Ciclo de Alfabetização do Ensino Fundamental.

Capa do material da “Coleção Caminhos e Vivências”, que será utilizado pelos estudantes do 2º ano do Ensino Fundamental.

 

Editora Opet: atenção total aos materiais da Educação Infantil

Uma das grandes preocupações da educação diz respeito à Primeira Infância. Como primeira etapa da Educação Básica, a Educação Infantil merece atenção para garantir que a criança, desde seus primeiros momentos na escola, possa se desenvolver plenamente em todas as dimensões. No caso da Editora Opet, essa preocupação se espelha na elaboração de materiais didáticos de alta qualidade, capazes de participar desse processo e de colaborar com o trabalho de professores e gestores.

Para conhecer um pouco mais a respeito dos materiais didáticos da Editora Opet para a Educação Infantil, conversamos com Ross Mary Capriotti Strano Vieira, editora pedagógica na gerência Editorial da empresa. Ela falou, por exemplo, sobre como as coleções são atualizadas e quais seus fundamentos. Uma entrevista útil para se compreender a complexidade e a beleza envolvidas na produção de um sistema de ensino. Confira!

Entrevista a Rodrigo Wolff Apolloni

Quais são as nossas coleções, as coleções que produzimos para a Educação Infantil?

Ross Mary – Nós temos duas coleções para a Educação Infantil na Editora. Uma chama-se “Encantos da Infância”, que é voltada ao segmento privado, e a outra chama-se “Entrelinhas para Você”, voltada ao segmento público. Elas abrangem todos os anos da Educação Infantil, de um a cinco anos e onze meses, e seguem os mesmos fundamentos teórico-metodológicos e filosóficos da Editora Opet.

A Editora Opet tem um compromisso com a atualização, renovação e mesmo reescrita dos materiais, de modo a mantê-los sempre relevantes e adequados ao momento. Por que processos as coleções voltadas à Educação Infantil passaram ou vêm passando recentemente?

Ross Mary –  Recentemente, o material dos níveis “Infantil I” e “Infantil II”, que era anual, passou a ser semestral. Essa mudança atendeu uma solicitação dos nossos clientes, dos parceiros que utilizam os materiais, para facilitar a logística e o trabalho em sala de aula. Assim, o último trabalho foi a semestralização desses materiais.  Os demais níveis, 3, 4 e 5, já eram semestrais e foram mantidos assim. Uma outra atualização importante foi um mapeamento dos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento presentes nas duas coleções em relação aos objetivos de aprendizagem e desenvolvimento presentes na BNCC, a Base Nacional Comum Curricular. A equipe Editorial tem participado de estudos, encontros e palestras, principalmente na área da Educação Infantil, relacionados à BNCC. Desde que foram realizados os primeiros estudos, nós estamos participando das discussões. Em função disso, nossos materiais estão atualizados. A cada ano fazemos uma revisão, sempre de acordo com o que é proposto pelo MEC.

Nós podemos afirmar que, dentro do cenário dos sistemas de ensino no Brasil, nossos materiais da Educação Infantil estão entre os mais atualizados?

Ross Mary – Com certeza. Justamente por conta desse estudo frequente, constante, que nosso Editorial faz em conjunto com a gerência Pedagógica. As propostas estão, de fato, bem atualizadas.

Esse é um processo que envolve muitas pessoas e muito tempo…

Ross Mary – Nós podemos dizer que são várias pessoas, desde o autor do material, que é consultado para qualquer modificação, passando pelo editor – que, no caso da Educação Infantil, sou eu -, pela diagramação, pela análise de língua e pela iconografia. Ou seja: todo o processo de produção de um material acaba sendo incorporado em uma revisão de materiais já existentes. Às vezes, uma simples operação – a troca de uma palavra, por exemplo – impacta em toda uma cadeia de desenvolvimento. E nós não podemos deixar escapar nada, nenhuma etapa. É, enfim, um processo cuidadoso, que deve atender aos parâmetros de qualidade que temos dentro da empresa.

Quais são, em termos instrumentais, as características das duas coleções?

Ross Mary – As duas coleções são similares no sentido de seguirem os mesmos parâmetros teórico-metodológicos e filosóficos. O que acontece é que são atividades e sugestões de vivências diferentes em cada coleção. Ambas as coleções, porém, estão pautadas nos eixos propostos pela BNCC, que são brincadeiras e interações – os dois eixos de trabalho para o segmento. As duas coleções também respeitam os princípios éticos, políticos e estéticos propostos tanto pelas Diretrizes Curriculares Nacionais quanto pela BNCC. As duas coleções contribuem para assegurar os direitos de aprendizagem e desenvolvimento propostos por estes documentos. Elas promovem, também, a indissociabilidade do cuidar e educar – que já é uma conquista da Educação Infantil, mas que precisa ser sempre afirmada para que isso aconteça de fato. As duas coleções também estão estruturadas com base nos campos de experiência propostos pela BNCC e, além disso, elas apresentam as propostas de aprendizagem em consonância com os objetivos de aprendizagem propostos pela BNCC.

No site da Editora Opet, os interessados podem ter acesso às características dos materiais para a Educação Infantil. Mesmo assim, as pessoas interessadas podem entrar em contato com você para esclarecer dúvidas?

Ross Mary – Com certeza! Nós estamos sempre abertos para esclarecer dúvidas, receber sugestões e críticas. Essa troca, que já acontece no dia-a-dia das escolas, durante as formações pedagógicas e no assessoramento, é muito importante. Contem conosco!