Ceará: municípios parceiros da Editora Opet dão salto de qualidade na alfabetização

Momentos da Editora Opet no Ceará em 2019/20. Em sentido horário, a partir do alto e à esquerda: formação em Sobral, entrega de materiais em Itaitinga, encontro formativo digital com professores de Fortaleza e formação em Ipu.

Os últimos dias foram de celebração para os 184 municípios cearenses, que alcançaram o nível de alfabetização desejada para o segundo ano do Ensino Fundamental (Anos Iniciais). O resultado foi divulgado pelo Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Estado do Ceará (SPAECE) e se refere a 2019. Ele está diretamente relacionado ao Programa de Alfabetização na Idade Certa (PAIC), uma ambiciosa política de Estado para o resgate e a promoção da Educação Básica, com resultados importantes. Apenas para se ter uma ideia do tamanho da transformação, em 2007 apenas 14 municípios – 7,6% do total – possuíam um nível de alfabetização desejada para a idade certa. Hoje, são 100%.

A Editora Opet, por meio do selo educacional Sefe, faze parte dessa história e desses resultados. Os materiais didáticos e a assessoria pedagógica Sefe – sob a coordenação da professora Oralda Adur de Souza – fizeram parte do PAIC já em 2008, auxiliando o Estado a promover sua revolução educacional. Desde então, o Sefe mantém um escritório pedagógico no Ceará, onde trabalham professores e pedagogos que atendem a vários municípios.

Os seis municípios atendidos pela Editora Opet no Ceará – Fortaleza, Sobral, Ipu, Paracuru, Itaitinga e Ubajara – apresentaram resultados importantes. Apenas para se ter uma ideia, em 2019/2020, nossos municípios parceiros tiveram várias de suas escolas vencedoras do “Escola Nota 10”, que premia os melhores resultados em Português e Matemática por unidade educacional. O prêmio é entregue durante a divulgação dos resultados educacionais do Estado pelo Spaece, o que aconteceu na semana passada.

Para conquistar a premiação, as escolas devem ter, no momento da avaliação, pelo menos 20 alunos matriculados na série avaliada, além de ter, no mínimo, 90% de participação de alunos. No 2º ano, a pontuação deve ficar entre 8,5 e 10, enquanto nos 5º e 9º anos os estudantes devem obter notas entre 7,5 e 10.

Pois bem: dos parceiros da Editora Opet, Sobral teve 25 escolas vencedoras do Prêmio, Fortaleza, uma unidade, Paracuru, 12 escolas e Ubajara, 14. “Em relação a Ipu e Fortaleza, foram os municípios que registraram o maior crescimento em relação ao índice de alfabetização. Ipu dobrou o número de escolas com o índice de alfabetização desejada e se manteve com os melhores resultados de sua região. E Fortaleza consolidou seu bom trabalho no segundo ano do Ensino Fundamental, que é o ano crítico da alfabetização”, analisa Glaylson Rodrigues, supervisor regional da Editora Opet para o Ceará.

Glaylson se diz muito satisfeito com os resultados dos parceiros da Editora, que são fruto de muito trabalho. “Nós contribuímos para além do material de qualidade que chega aos municípios. Participamos com a prestação de um conjunto de serviços, como acompanhamento em visitas técnicas, suporte aos professores e gestores das escolas, além de orientação aos familiares.” Glaylson destaca o esforço dos gestores e dos professores, que se engajam muito para que o trabalho dê resultados.

Vitória coletiva – De acordo com o SPAECE, todos os alunos do segundo ano do Ensino Fundamental (Anos Iniciais) de Paracuru alcançaram o nível desejável de alfabetização e letramento. “Tivemos um salto de qualidade na aprendizagem no 2º, 5º e 9º anos”, conta a professora Joana Angélica Lopes, gerente do Mais PAIC no município. Segundo Joana, os resultados são a soma de uma série de fatores, a começar pelo trabalho coletivo e pelos esforços e talento dos professores. Ela também destaca o valor da parceria com a Editora Opet por meio do selo educacional Sefe.

Equipe do Mais PAIC de Paracuru (professoras Joana Angélica, Lucila Rocha, Silvia Helena, Déborah Magalhães, Mirlândia Sá e Marina Claudia) com o secretário municipal de Educação, Wanderlei Cordulino.

“Na primeira etapa da Educação Básica, o Sefe desenvolve um excelente trabalho com o material estruturado da Coleção Entrelinhas. E também formações continuadas para os professores da Educação Infantil que trabalham temas atuais, como a utilização das mídias, estudos voltados para a BNCC e Referenciais Curriculares para a Educação Infantil.” Ela também destaca o acompanhamento pedagógico nas creches e pré-escolas e o Prêmio Ação Destaque, que valoriza os projetos dos professores. “O sucesso da aprendizagem dos alunos de Paracuru fundamenta-se na assistência de excelência disponibilizada pela Editora Opet-Sefe e na proatividade da Equipe do Mais Paic.”

Uma relação antiga e de valor – O gerente comercial da Editora Opet para a área pública, Roberto Costacurta, lembra que o Sefe esteve ao lado dos municípios cearenses desde 2007, ano de início do PAIC e do acompanhamento pelo SPAECE. “Pela qualidade do nosso trabalho, fomos escolhidos para participar desse grande programa”, conta. “Quando a primeira etapa do PAIC foi concluída, em 2015, o Sefe estava atendendo 64 municípios, um terço do total do Estado. E seguimos atendendo vários deles, com excelentes resultados.”

Para Roberto, os bons resultados dos municípios também são uma vitória da Editora Opet. “Quando uma escola recebe o Prêmio Nota Dez, que é muito importante dados os parâmetros de qualidade exigidos, nós nos sentimos premiados também. E desejamos manter e fortalecer essa bela parceria!”, conclui.

Encontro virtual com familiares em Cotia tem recorde de audiência no canal da Editora Opet no Youtube

Reunir famílias para conversar sobre a educação e a importância da parceria com a escola é algo muito especial. Agora, imagine o valor de reunir milhares de pessoas – mães, pais, avós, responsáveis – em um evento online para falar sobre o trabalho com o afeto, sobre direitos e deveres e sobre os papéis complementares de família e escola na educação. Pois foi exatamente isso que aconteceu na noite de quarta-feira (29) em Cotia, município paulista parceiro da Editora Opet por meio do selo educacional Sefe – Sistema Educacional Família e Escola.

No primeiro encontro com familiares realizado pela prefeitura e pela Editora, mais de 2,3 mil pessoas participaram em tempo real, com 9,3 mil visualizações da live em nosso canal no Youtube. “Foi um recorde em relação ao número de participantes para esse tipo de encontro”, comemora a gerente pedagógica da Editora, Cliciane Élen Augusto. “Foi um marco para a nossa equipe pedagógica, um momento muito elogiado pelos participantes, pelo secretário municipal de Educação e pelo prefeito.”

Cliciane explica que a parceria com Cotia é recente – ela começou neste ano – e que um encontro presencial com familiares havia sido programado. Por conta da pandemia, porém, acabou não acontecendo e foi substituído pelo encontro remoto. “A reunião virtual superou as nossas expectativas. Ficamos muito felizes e agradecidos pela adesão das famílias, o que mostra o quanto elas valorizam a educação.”

A live com os familiares foi aberta por Cliciane e pelo secretário municipal de Educação de Cotia, Luciano Corrêa dos Santos, que destacou a importância da educação, dos professores e da parceria família-escola. O prefeito Rogério Franco também esteve na live: ele agradeceu às famílias pela participação no encontro e à Editora pelo o papel desempenhado na educação municipal, em especial neste momento de pandemia.

A formadora Márcia Ribeiro, a gerente Cliciane Augusto e o secretário Luciano Corrêa durante a live.

Cotia e a Editora Opet são parcerias desde o início deste ano, com adoção, pela rede municipal de ensino, dos materiais didáticos Sefe e das ferramentas digitais para o Jardim I e II (Educação Infantil 4 e 5) e para o Ensino Fundamental nos Anos Iniciais e Finais. Os professores e gestores, aliás, também aderiram com entusiasmo às implantações digitais e às formações remotas proporcionadas pela Editora na parceria com o Google for Education.

Oportunidade de aproximação – A conversa com os familiares teve cerca de uma hora e meia de duração e foi conduzida pela professora Márcia Regina Ribeiro dos Santos, assessora pedagógica da Editora Opet. Ela diz que ficou até um pouco nervosa diante do tamanho da plateia, mas que a interação e o resultado do encontro compensaram muito a expectativa.

“O encontro foi uma grande oportunidade de aproximar escola e família, o que é fundamental para o sucesso da educação. Os comentários que recebemos no chat, com perguntas e opiniões, nos dão a certeza de que precisamos de momentos como esse.”

Conversando com a gerente pedagógica da Editora, o secretário municipal de Educação de Cotia, Luciano Corrêa dos Santos, se disse muito feliz pelo sucesso do encontro com os familiares. “Foi muito bom estar com vocês neste momento! Nós recebemos várias mensagens de diretores de escolas e de familiares de estudantes. Que riqueza para nós. É um caminho que precisamos seguir trilhando. Obrigado pela parceria!”.

Para o gerente comercial da Editora Opet para o segmento público, Roberto Costacurta, o sucesso da live com as famílias de Cotia é a melhor demonstração de que a empresa está no caminho certo. “A proximidade com as famílias faz parte do DNA da Editora, ela está na marca Sefe – Sistema Educacional Família e Escola – e é muito importante em nossa proposta de ensino. Realizar um encontro com familiares, neste momento, era um desafio que foi vencido com inteligência”, observa. “As famílias já consomem lives, já fazem reuniões pela internet. Assim, resolvemos caminhar por aí e foi um grande sucesso. Só temos a agradecer às famílias, ao prefeito Rogério e ao secretário Luciano pela confiança no nosso trabalho. A partir dessa live, vamos crescer ainda mais.”

O link da live está disponível AQUI – CLIQUE PARA ASSISTIR

Fogueira Virtual, animação real: uma jornada pelas festas juninas virtuais dos parceiros Opet

Para a escolas, as festas juninas são um momento de integração da comunidade e de promoção da cultura brasileira. Neste ano, por conta da pandemia e do distanciamento social, os gestores tiveram um desafio enorme: sem “deixar a peteca cair”, realizar as festas no ambiente virtual, engajando e animando as famílias.

Francisco Glaylson Rodrigues, supervisor regional da Editora Opet para o Ceará, é apaixonado pelas festas juninas. O mês de junho é o nosso mês mais alegre e colorido. É uma verdadeira celebração! O dia de São João, por exemplo, é como se fosse nosso Natal”, vibra. Apesar de tudo, em 2020 as festas aconteceram – adaptadas às novas circunstâncias, mas cheias de energia. “Não perdemos a alegria. Os gestores e as famílias criaram lives, videoconferências e festas online. Com direito a bolo de milho, pamonha, dança e confraternização em família.”

Em Fortaleza, a Escola Municipal Dois de Dezembro foi uma dentre muitas escolas que realizaram sua festa online. Sua coordenadora, professora Orlenilda de Souza, fala sobre a importância dessas festas. “Elas representam a cultura nordestina em seus diferentes aspectos: a comida, os trajes, a música, a dança, as parlendas, as brincadeiras”, explica. E aí reside sua importância em termos de educação. “Como toda essa tradição já faz parte do cotidiano da nossa gente nas diversas esferas, inclusive familiar, trabalhar as festas juninas torna os conteúdos curriculares mais significativos. Conhecer e valorizar o conhecimento de mundo do educando torna o processo de ensino e aprendizagem mais significativo.”

Normalmente, conta Orlenilda, as festas juninas são trabalhadas a partir de um projeto multidisciplinar que envolve toda a comunidade escolar em junho, culminando com um festival com quadrilhas e forró, barracas com comidas e bebidas típicas, além de muitas brincadeiras. “O papel das famílias é fundamental”, reforça.

Neste ano, esse projeto foi transposto para o ambiente virtual. “Todos participaram: alunos, professores e grupo gestor. E a culminância – o ‘forró virtual’ – foi construída a partir dos vídeos e fotos que os professores e os estudantes enviaram.”

Orlenilda ficou satisfeita. “Os desafios que esse momento nos trouxe fez com que agregássemos novas formas de pensar no processo ensino-aprendizagem. Esses conhecimentos, aliás, serão somados à nossa forma de ensino pós-pandemia.”

Crianças da Escola Municipal 02 de dezembro, de Fortaleza, mostram suas “artes juninas” nas redes sociais. Festas são forma de mergulhar na cultura brasileira.

Angicos – O Plenitude Complexo Educacional, escola particular de Angicos (RN), também não deixou passar as festas juninas em branco, como conta a diretora Rosicleide Sebastiana de Melo. O fio condutor foi um poema escrito por um estudante do sétimo ano do Ensino Fundamental, que relembrou os festejos de anos anteriores. O poema foi recitado e gravado pelos docentes. Além disso, durante as aulas virtuais, estudantes e professores trabalharam juntos a cultura nordestina associada à época.

Como substituir esse momento sem perder o encanto?”, pergunta Rosicleide.  Segundo ela, a solução foi produzir e distribuir vídeos. “O auxílio da plataforma Gsuite e da ferramenta Google Meet, da Editora Opet, assim como dos familiares em casa, foram determinantes para o nosso ‘Arraiá Virtuá’”, conta. “Cada família caprichou na caracterização das crianças com as fantasias, cenários e preparação das comidas típicas. E os professores trabalharam para empolgar os alunos, organizando brincadeiras e as tradicionais quadrilhas juninas. Cada um na sua casa, mas com muito empenho e amor!”.

Em Angicos, as famílias levaram o “Arraiá” para dentro das casas e compartilharam no meio digital.

Afogados da Ingazeira – A professora Cláudia Barros é mantenedora do Colégio Dom Hélder Câmara, tradicional instituição de ensino de Afogados da Ingazeira (PE). Segundo ela, o engajamento dos gestores, professores, estudantes e famílias foi fundamental para o sucesso da festa de 2020, que teve brincadeiras, danças, jogos e muita comida. Em cada casa, uma festa – conectada às outras festas pela via digital.

“As festas juninas são um marco de preservação da nossa cultura”, explica Cláudia. Para “esquentar o clima” e matar saudades, o colégio produziu um vídeo com os melhores momentos da festa de 2019. E a festa deste ano também rendeu um belo vídeo, o que prova a animação, mesmo em tempos de distanciamento social.

“Arraiá Virtual” do Colégio Opet teve música, culinária, quadrilha, música, dança, brincadeiras e bingo!

Mosaico com momentos do “Arraiá Virtual” do Colégio Opet. Planejada com muito cuidado, a festa virtual foi um grande sucesso!Em Curitiba, o Colégio Opet planejou com muito carinho sua festa junina virtual deste ano, o “Arraiá Virtual”, realizada no último dia 27. Ela foi pensada para oferecer à comunidade escolar uma experiência que, neste momento tão peculiar, traduzisse a alegria e os saberes de uma celebração muito rica e querida pelas pessoas.

A diretora pedagógica do Colégio, professora Caren Helpa, explica que a festa virtual foi pensada em três momentos: primeiro, foi feita uma live com os estudantes e suas famílias sobre a preparação dos enfeites e adornos juninos; a seguir, foi feita a entrega, em um drive-thru às famílias, de “kits juninos”, com doces, materiais para a confecção de um jogo de “pescaria” e uma cartela do bingo virtual; por fim, a coroação com a festa virtual, que aconteceu no ambiente digital, com atrações transmitidas (com todos os cuidados sanitários) diretamente do Colégio Opet.

“Com o ‘Arraiá Virtual’, tivemos como grande objetivo oferecer às famílias um momento cultural em contato com a arte, a dança, a culinária e a cultura juninas. Mas, principalmente, quisemos oferecer um momento de alegria na casa das pessoas”, conta Caren. O trabalho começou quarenta dias antes da festa. Nesse período, os professores se reuniram virtualmente para discutir como seria a festa e como seriam inseridos os elementos juninos trabalhados nas aulas remotas pelos professores com os estudantes. “Nessas reuniões semanais, fomos desenhando a festa e elaborando os roteiros até chegar à versão final, do sábado, dia 27”, explica a diretora.

Caren destaca o trabalho dos professores de Educação Física e Música e das professoras regentes, que ao longo do período, fizeram pesquisas, lives, videoaulas e leituras com suas turmas. “Enquanto, em uma instância, uma equipe planejava a festa junina para a comunidade, nessa instância os professores trabalharam os conteúdos com muito cuidado”, explica.

Ferramentas digitais – A realização dos encontros preparatórios e da própria festa virtual foi possível, também, graças ao suporte da Editora Opet, que forneceu e-mails “@souopet” para os estudantes e “@opeteducation” para os professores.

A partir do cadastro desses e-mails, dentro da ferramenta Google Meet, foi possível realizar os encontros virtuais e a própria festa. “É uma ferramenta importante porque fornece recursos que garantem segurança e grande interação no período de distanciamento”, observa a gerente pedagógica da Editora, Cliciane Élen Augusto. “Os encontros no Google Meet permitem reunir, por exemplo, até 250 pessoas simultaneamente, e oferecem a interação com vídeos, áudios e chat. Uma grande interação, enfim, necessária à educação e, é claro, a uma boa festa virtual.”

A festa – No dia 27, o “Arraiá Virtual” foi aberto oficialmente de dentro do Colégio Opet, pelo professor atelierista Guga Cidral. Acompanhado do professor de Educação Física Rafael Racciope e de dois músicos, ele explicou o porquê da festa em todos os seus elementos, da religiosidade às comidas, trajes, música e danças. Ao mesmo tempo, remotamente, os professores colaboraram com informações e atividades relacionadas à comemoração. E, é claro, aconteceu o famoso bingo, uma tradição junina do Colégio Opet.

As famílias, conta Caren, se engajaram fortemente. “Essa participação foi uma grande alegria. Antes da festa, fizemos uma live com dicas sobre a produção de bandeirinhas e adereços juninos. E, nas transmissões, vimos as casas decoradas e as pessoas com os trajes típicos. Foi uma emoção singular”, comemora. “Recebemos muitas mensagens de agradecimento pelo momento de alegria, leveza e interação que o Colégio proporcionou.”

Diferentes ferramentas, um mesmo propósito: ensinar!

São João do Itaperiú (SC) uniu Whatsapp, Facebook e livros para garantir o ensino

Situado a cerca de 150 quilômetros de Florianópolis, São João do Itaperiú é um importante parceiro da Editora Opet na região leste de Santa Catarina. Lá, como acontece em todo o Brasil, a rede municipal de ensino se organizou para garantir educação de qualidade durante o período de distanciamento social. A secretária municipal de Educação, professora Elizete Moraes Hess, explica que, tão logo começou a quarentena, o município decretou um recesso escolar de 15 dias, tempo suficiente para que os gestores e os professores se organizassem. As aulas foram retomadas no dia 06 de abril.

E eles perceberam que o trabalho funcionaria bem com o uso de ferramentas digitais que a maioria conhecia e utilizava – o Whatsapp e os grupos do Facebook. “Optamos por essas ferramentas pela facilidade de acesso de todos, professores, estudantes e famílias. E, como elas funcionaram perfeitamente, decidimos seguir usando sem migrar para outras ferramentas”, explica a secretária. No caso dos estudantes que não possuem acesso à internet, que são poucos, as atividades são enviadas diretamente para as suas casas pelos professores, gestores e Secretaria.

Devolutivas – Somadas aos livros físicos do Sefe (selo educacional da Editora Opet para o segmento público), as ferramentas digitais estão permitindo desenvolver as atividades educacionais com grande sucesso. Segundo a secretária Elizete, os livros físicos, de que todos os estudantes dispõem, geram um ponto a mais de conexão. “Os materiais do Sefe têm sido essenciais neste momento. Eles facilitaram muito as aulas remotas. Os professores fazem seus planejamentos a partir dos livros e enviam as atividades; os estudantes recebem as atividades, desenvolvem e postam, e recebem a devolutiva dos professores.”

Um exemplo bem interessante desse trabalho é o das crianças do Pré-I e Pré-II da professora Marcia Gadotti Caldonho, da Escola Municipal Professora Maria Gasino Borba. Com o acompanhamento das famílias – algo que é necessário nessa etapa da Educação -, elas estão fazendo suas tarefas e postando em um grupo fechado no Facebook. Algumas fotos podem ser conferidas nesta matéria. Marcia conta que a participação das famílias é bem importante para o sucesso do trabalho. “A maioria das famílias é participativa. Elas ajudam e fazem o possível para que as crianças realizem as atividades dos livros. Mandam filmagens, fotos e áudios falando o que a criança fez.” O trabalho, observa, é inteiramente baseado nas atividades dos livros.

“Exploramos tudo o que a criança pode fazer em casa com a família. Eu faço explicações em vídeo da página da atividade e, em caso de dúvidas, ajudo.” Sobre a evolução das crianças, Marcia explica que é possível acompanhá-la de acordo com os registros que cada criança faz com apoio da família. “A dedicação da família é muito importante. Ela ajuda muito no desenvolvimento da criança.”

A gerente pedagógica da Editora Opet, Cliciane Élen Augusto, considera ações como a dos gestores e professores de São João do Itaperiú fundamentais para o desenvolvimento da educação. Elas demonstram inteligência, criatividade e capacidade de engajamento. “Durante este momento tão difícil de distanciamento social, nossos conveniados têm demonstrado que a escola permanece viva em outros ambientes, sempre numa perspectiva de ampliar o processo de aprendizagem.” Cliciane lembra que o desafio é diário e é intenso, mas que o fazer pedagógico é a essência de ser educador. “Continuamos a fortalecer nossa parceria diante das dificuldades. Juntos, estamos enfrentando e superando este momento.”

 

Barra do Garças (MT): implantação e formação pedagógica

Há alguns anos, a Editora Opet, por meio do selo educacional Sefe, desenvolve um trabalho importante junto às redes de ensino de municípios do Mato Grosso. Nesta semana, nosso time pedagógico esteve em Barra do Garças, município de aproximadamente 80 mil habitantes onde aconteceu a implantação dos materiais didáticos da Coleção “Entrelinhas para Você” (4 e 5). O trabalho, realizado no campus do Centro Universitário do Vale do Araguaia (UNIVAR), envolveu 110 professores da rede municipal, que trabalharam com a assessora pedagógica Elis Vieira, e 18 gestores educacionais, que fizeram a formação com a assessora pedagógica Mara Dumke.

“Barra do Garças é um novo parceiro da Editora Opet”, explica Danuza Peraceta, supervisora regional que atende aos municípios do Mato Grosso e que acompanhou a formação. “Com essa formação pedagógica, demos início a uma parceria de muito sucesso. Percebemos que tanto os professores quanto os gestores se mostraram bastante interessados nos materiais didáticos e na formação pedagógica, o que possibilitou o compartilhamento de conhecimentos e experiências.”

Qualidade – Cristina Alves Moreira é a assessora técnica pedagógica da Secretaria de Educação de Alto Garças. Segundo ela, o município busca qualidade educacional. “Nós temos uma preocupação muito grande com a infraestrutura e também pensamos muito na qualidade pedagógica. Precisamos ter formação docente continuada e assessoria pedagógica – e isto, a Editora Opet nos oferece.”

Para Cristina, a implantação marcou um bom início de trabalho. “As três formadoras da Opet, a Mara, a Elis e a Danuza, são muito experientes e nos deram uma excelente base.” Segundo ela, os materiais da Coleção “Entrelinhas para Você”, que vão atender as crianças de quatro e cinco anos, são exatamente aquilo de que o município precisa. “Não é um sistema de ensino fechado. Assim, podemos complementar o trabalho com nossas próprias particularidades.” Além disso, Cristina também destaca a proximidade entre a fundamentação teórica Opet e o documento curricular do próprio município.

Sobre o trabalho com os gestores, a assessora pedagógica observa que muitos dos diretores das escolas estão assumindo agora, e que o trabalho feito pela assessora Mara Dumke os auxiliou muito em relação aos primeiros passos na gestão.

Ação Destaque – Cristina ainda falou sobre o interesse dos professores pelo Prêmio Ação Destaque, promovido anualmente pela Editora Opet para valorizar projetos e práticas pedagógicas dos professores parceiros. “Muitos dos nossos professores trabalham com projetos e ficaram empolgados com a ideia de participar. Eles vão se inscrever, com certeza!”.

 

“Joy!”: Coleção de Língua Inglesa da Editora Opet chega a Salvador

Setenta e seis mil estudantes da rede municipal de ensino de Salvador estão começando o ano letivo de 2020 com um material novo – e muito especial – para o ensino da Língua Inglesa. É a Coleção “Joy!, desenvolvida pela Editora Opet dentro do selo educacional Sefe, e que será utilizada por alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) de quatrocentas escolas.

Na semana passada, a supervisora regional da Editora Opet para a Bahia, Selma Meirelles, e a professora Vera Rauta, autora da coleção e formadora pedagógica, estiveram reunidas com um grupo de cem professores de Língua Inglesa da rede municipal de ensino soteropolitana. O encontro aconteceu em Salvador e marcou a implantação dos materiais.

 “A receptividade não poderia ter sido melhor. Nós vimos os professores muito animados com a adoção dos materiais. Eles vieram, trouxeram suas dúvidas e as dificuldades que encontram no ensino do idioma. E acreditam que agora, com os livros e a metodologia, terão um suporte para o trabalho”, conta a professora Vera Rauta.

A autora dos livros da coleção “Joy!” observa, ainda, que os livros produzidos pela Editora Opet foram escolhidos pela prefeitura após uma análise cuidadosa de várias coleções disponíveis no mercado. “E os nossos livros foram escolhidos por estarem mais próximos do referencial teórico da cidade em relação ao ensino do Inglês.”

A supervisora regional da Editora Opet para a Bahia, Selma Meirelles, destaca a seriedade da proposta de Salvador em relação ao trabalho com a Língua Inglesa. “Em Salvador, todos os estudantes dos Anos Iniciais têm 50 minutos por semana de Inglês. Além disso, os professores têm formação acadêmica específica para o ensino da Língua Inglesa, o que é um diferencial.”

Selma acredita que, com a adoção da coleção “Joy!”, eles passam a ter, também, unidade de ensino. “Durante a formação, notamos a excelente receptividade em relação aos livros. Agora, eles dispõem de um material que vai ao encontro do que eles pensam em relação ao ensino da Língua Inglesa.”

As professoras Mariana Santos de Jesus e Ionara Novais, técnicas da Coordenadoria de Formação Pedagógica da Gerência de Currículo (da Diretoria Pedagógica da Secretaria Municipal de Educação de Salvador), acompanharam a formação. Segundo elas, os professores se engajaram bastante e validaram a proposta de ensino interdisciplinar da Coleção. De acordo com Mariana e Ionara, os materiais podem contribuir para o ensino efetivo do Inglês a partir dos eixos da oralidade, leitura, escrita e reflexão sobre a língua.

Outros pontos destacados pelas técnicas da Secretaria são a proposta lúdica e as ilustrações adequadas à faixa etária dos anos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, os materiais complementares de suporte audiovisuais (como DVDs e flashcards) e a qualidade do livro do professor, que oferece sugestões diversificadas e potenciais para a dinamização da prática docente. Todos esses aspectos atendem o conjunto de aprendizagens esperadas para o ensino de Língua Estrangeira dentro do Referencial Curricular Municipal para os Anos Iniciais do Ensino Fundamental do Município de Salvador.

Nas capitais – Em 2019, Curitiba também adotou a coleção “Joy!”. Os livros e a metodologia foram utilizados por quatro mil estudantes dos Anos Iniciais da rede municipal pública de ensino, em um programa de estímulo ao bilinguismo.

Sobral e a Editora Opet renovam parceria para o 2º ano do Ensino Fundamental

A Editora Opet e a rede municipal de ensino de Sobral (CE) acabam de renovar uma parceria de grande sucesso! Desde o ano passado, dentro do selo educacional Sefe, a Editora fornece materiais didáticos para os estudantes, materiais e formações pedagógicas para os professores do 2º ano do Ensino Fundamental de Sobral. Um trabalho que envolve 2.500 estudantes e 85 professores e coordenadores pedagógicos.

Um detalhe importante: Sobral é referência nacional em educação, tendo alcançado a primeira colocação nacional do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o IDEB, com nota 9,1 na avaliação dos Anos Iniciais (1º ao 5º ano). E o 2º ano do Ensino Fundamental, etapa contemplada pela parceria, é estratégica em relação à alfabetização.

“Estamos muito satisfeitos com a parceria entre a Editora Opet e Sobral. Para nós, é importante fazer parte de um trabalho de tamanha qualidade, que demonstra a força dos educadores do Brasil”, avalia a superintendente da Editora, Cristina Swiatovski. “Participar desse movimento oferecendo livros e formações pedagógicas, discutindo a educação na prática, nos faz avançar no trabalho com todos os parceiros da área pública.”

Exemplo – “Sobral é um exemplo de município que investe em educação e acredita que, por meio dela, podemos transformar uma sociedade. Para nós, é uma satisfação fazer parte dessa busca incessante por uma educação pública de qualidade”, diz a gestora pedagógica da Editora Opet, Cliciane Élen. “Nossos materiais e formações pedagógicas são desenvolvidos para contribuir de maneira significativa com o trabalho das secretarias municipais de ensino. Assim, ficamos muito felizes com mais um ano de parceria com o município de Sobral.”

O supervisor regional da Editora Opet para o Ceará, Glaylson Rodrigues, explica que, ao longo do ano passado, foram realizados quatro encontros formativos, nos quais os professores esclareceram dúvidas, dialogaram, trouxeram experiências e se aprofundaram em relação às possibilidades dos materiais da Coleção Caminhos e Vivências (do Sefe), utilizados em Sobral. Para 2020, as expectativas são as melhores.

“Queremos consolidar o trabalho realizado no ano passado, quando implantamos os materiais e as formações. Isso implica a ampliação dos serviços e o estímulo aos professores do segundo ano para que eles desenvolvam projetos de sucesso com os estudantes”, diz Glaylson. “É uma honra ser parceiro da melhor educação pública do Brasil.”

Vitrine – O gestor comercial da Editora Opet para o segmento público, Roberto Costacurta, destaca a receptividade dos materiais, formações e o olhar pedagógico Opet pela rede de ensino de Sobral. “É uma rede de ensino com um trabalho sólido e de muito tempo, que encontrou na Opet um sistema de ensino confiável. Um sistema de ensino que atendeu suas exigências metodológicas, formativas e de conteúdo. Isso nos deixa muito tranquilos quanto à qualidade do nosso trabalho, que pode e deve ser apresentado a outros municípios interessados em avançar na educação.”

 

 

 

 

Reconhecimento do trabalho da equipe da Editora Opet em Fortaleza

O ano de 2019 foi de muito trabalho e conquistas para a Editora Opet. Andamos por várias regiões do país apresentando nossa proposta educacional e auxiliando parceiros públicos e privados a implantarem uma educação humana, cidadã, inovadora e transformadora.

Foi o que aconteceu no Nordeste, onde, neste ano, consolidamos e ampliamos nossa presença. Isso, graças a uma estratégia de ação e aos esforços de uma equipe dedicada de assessores, supervisores pedagógicos, consultores e representantes comerciais. Na última segunda-feira (16), essa incrível equipe foi homenageada com um almoço no Restaurante Murano, em Fortaleza (CE), onde fica a sede regional da Editora Opet no Nordeste.

Participaram a equipe do escritório da Editora no Ceará, as assessoras e os representantes de Natal (RN), Recife (PE), Fortaleza (CE) e Maranhão, além do time do Rio de Janeiro, que foi ao Nordeste especialmente para o encontro. Representando a superintendente, Cristina Swiatovski, estiveram presentes a gerente pedagógica, Cliciane Élen, e o gerente comercial público, Roberto Costacurta.

“A confraternização em Fortaleza foi muito importante, em primeiro lugar, para homenagear as equipes que trabalham na capital, no Estado do Ceará e em todo o Nordeste”, avaliou a gerente pedagógica Cliciane Élen.
Ela destacou o fortalecimento do escritório da Editora em Fortaleza, que leva os selos Sefe e Opet Soluções Educacionais para os municípios e escolas privadas parceiras, e a unidade da equipe, que trabalha pela qualidade da educação. “Essa equipe nos representa muito bem e está de parabéns!”.

Para o gerente comercial para a área pública, Roberto Costacurta, o encontro de final de ano foi muito significativo. “Ele marca a retomada e o fortalecimento do nosso trabalho no Nordeste e no Norte nas áreas pública e privada. Hoje, nesses dois segmentos, nossa posição é muito mais elaborada. E temos muitas referências disso, como é o caso de municípios como Fortaleza e Sobral, no Ceará, e de uma escola privada como a Sucesso, em Macapá, na região Norte”.

Roberto também destacou o valor do escritório da Editora em Fortaleza, que fortalece muito o nosso trabalho em toda a região. “É uma sede estratégica. A partir dela, podemos prestar um serviço de alta qualidade, de forma mais racional em termos financeiros e com apoio a uma equipe de alta qualidade.”

A devolutiva de Fortaleza – Também na segunda-feira, Cliciane, Roberto, o supervisor pedagógico regional para o Ceará, Francisco Glaylson Rodrigues, e o supervisor comercial Eduardo Pereira estiveram reunidos com gestores da Secretaria Municipal de Educação de Fortaleza para uma devolutiva em relação ao ano de 2019 e também para falar sobre as ações de 2020.

“Ficamos muito felizes com o que ouvimos. Foi um feedback importante. Os gestores nos falaram sobre o impacto positivo do nosso trabalho no dia a dia dos professores e dos estudantes, do valor das visitas técnicas e das formações realizadas ao longo do ano pela equipe da Editora”, observou Cliciane Élen. Em Fortaleza, município parceiro desde 2013, a Editora Opet atende 28,9 mil estudantes.

O supervisor pedagógico regional para o Ceará, Francisco Glaylson Rodrigues, destacou alguns aspectos do trabalho realizado neste ano, como a assertividade das formações e as ações realizadas com os diretores de ensino. “Vamos manter esse trabalho em 2020, com um olhar ainda mais refinado. A ideia é buscar a excelência na educação.”

 

Vencedoras Ação Destaque/Meio Ambiente visitam Reserva Natural Salto Morato

Um momento extraordinário de contato com a natureza, em uma das porções mais preservadas da Mata Atlântica em toda a costa brasileira – com direito a trilhas, cachoeira, observação da mata e de escuta dos sons e até mesmo do silêncio da floresta. Assim pode ser resumido o passeio que as professoras vencedoras do IX Prêmio Ação Destaque na categoria “Educação Ambiental” fizeram à Reserva

Natural Salto Morato, em Guaraqueçaba, no litoral norte do Paraná, no início desta semana (02 e 03).

A visita foi um presente Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, parceira do Sefe na Coleção “Meu Ambiente”, que inspira os projetos de educação ambiental apresentados ao Prêmio Ação Destaque.

As professoras Débora Rederd França Vidal, de Paranaguá (PR), e Denise Zimmermann Schuller, de Arroio Trinta (SC), puderam levar uma acompanhante cada, e também foram acompanhadas pelos supervisores pedagógicos regionais da Editora Opet Nelson Bittencourt e Silneia Chiquetto. Na reserva, localizada a cerca de 160 km de Curitiba, eles foram recebidos por uma equipe de apoio da própria Fundação Grupo Boticário, que guiou o grupo pela floresta, e pernoitaram no alojamento.

A Reserva – A Reserva do Salto Morato foi criada em 1994 pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e, desde então, é palco de atividades de educação ambiental, pesquisa científica, atividades recreativas e de monitoramento da biodiversidade. Ela possui 2.253 hectares (o equivalente a 22,5 milhões de metros quadrados) e está localizada em pleno Lagamar, área situada entre os Estados do Paraná e de São Paulo que possui a maior extensão contínua da Mata Atlântica no Brasil.

Lá, os pesquisadores já catalogaram 646 espécies de plantas, 326 espécies de aves, 58 espécies de mamíferos, 55 espécies de peixes, 54 espécies de anfíbios e 36 espécies de répteis. A reserva possui duas trilhas autoguiadas, além de toda a infraestrutura para uma visitação ambientalmente responsável.

Encantamento – As professoras ficaram encantadas com o que viram ao longo dos dois dias de passeio. “Não existe uma palavra que defina o estado de espírito que encontramos aqui, nesta paz com a natureza e com os pássaros”, comentou a professora Denise Zimmermann Schuller. A professora Fernanda Consoni, acompanhante de Denise na viagem, ficou entusiasmada. “É uma experiência que deixa a gente de alma lavada. O contato com a natureza em um ambiente tão preservado renova nossas energias. É maravilhoso!”.

A professora Débora Rederd França Vidal mora em Paranaguá, cidade próxima da área da Reserva e situada dentro da Mata Atlântica. Mesmo assim, ficou impressionada com a beleza do que viu. Ela destacou, por exemplo, o aprendizado em relação à palmeira juçara, que é típica da região e enorme importância ambiental. Além disso, Débora curtiu muito a proximidade com a natureza. “Poder ouvir os pássaros, molhar os pés e ver o verde são coisas incríveis!”, resumiu.

Parceria – O supervisor pedagógico Nelson Bittencourt agradeceu à Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza pelo presente às professoras e também pela parceria para o desenvolvimento das ações de educação ambiental com a Coleção Meu Ambiente, que é adotada por escolas parceiras Sefe em todo o país para o Ensino Fundamental.

“É uma parceria muito importante, que está educando crianças e adolescentes para um tema fundamental. Ficamos honrados em ter a confiança da Fundação Grupo Boticário nessa missão”, diz Nelson.

Ele aproveitou para convidar as vencedoras do Prêmio Ação Destaque de 2019 a participarem novamente em 2020. “As professoras Débora e Denise realizaram trabalhos inspiradores e podem contribuir muito para a educação ambiental. Ficaríamos felizes de tê-las conosco novamente concorrendo ao prêmio.”

 

Santana de Parnaíba (SP): Editora Opet no Prêmio Professor Ação Destaque

Na segunda e terça-feira (25 e 26), nossos supervisores pedagógicos Silneia Chiquetto e Nelson Bittencourt participaram de um dos eventos mais importantes da educação de Santana de Parnaíba (SP), o “VII Prêmio Professor Ação Destaque”. O prêmio foi criado em 2013 e, desde então, destaca professores da rede municipal que desenvolvem projetos de qualidade em todos os níveis da Educação Básica.

Santana de Parnaíba é um dos principais parceiros da Editora Opet – por meio do selo Sefe, a parceria contempla todos os estudantes da rede municipal de ensino, da Educação Infantil ao Ensino Médio (lá, este nível de ensino é municipalizado).

Silneia e Nelson fizeram parte, junto com duas professoras da Universidade de São Paulo (USP), da banca julgadora dos 50 trabalhos finalistas selecionados dentre os 150 inscritos. Todos os trabalhos finalistas são premiados – os prêmios vão de R$ 15 mil a R$ 3 mil –, e a avaliação tem caráter classificatório.

Alta qualidade – “Nós ficamos muito felizes em avaliar esses projetos”, diz Silneia. “São trabalhos de alta qualidade, que enfatizam as metodologias atuais e o protagonismo do estudante, em consonância com a Base Nacional Comum Curricular.”

Silneia também observa a presença, nos projetos finalistas, de muitas referências aos materiais e das formações realizadas pela Editora Opet. Alguns dos participantes do Prêmio Professor Destaque, inclusive, também foram premiados na edição deste ano do IX Prêmio Ação Destaque, realizado pela Editora em Curitiba. “Essa relação apenas demonstra o valor da parceria com a Editora Opet. É muito bom verificar que estamos contribuindo para fortalecer a educação em Santana de Parnaíba”, conclui. O resultado final será divulgado na próxima quarta-feira, dia 04 de dezembro.

Para o secretário municipal de Educação de Santana de Parnaíba, Clecius Romagnoli, a parceria com a Editora Opet desempenha um papel importante para o sucesso do Prêmio Professor Ação Destaque e da educação municipal. “A Editora Opet oferece materiais didáticos muito ricos e, também, formações com metodologia que subsidiam os professores nos projetos apresentados ao prêmio. Isso, para nós, é uma honra.

Clecius destaca a importância do Prêmio Professor Ação Destaque na valorização dos docentes e de suas práticas inovadoras. “Eles transformam o processo de ensino-aprendizagem e, também, a vida dos estudantes. Ou seja, é algo que vai muito além do prêmio em si. Eles mostram, enfim, que é possível fazer e ter uma educação de qualidade e atraente.”

Avanços – Em 2017, já dentro da vigência da parceria, Santana registrou o maior crescimento do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) no Estado de São Paulo – 32% em relação à avaliação anterior, de 2015 -, e tem o maior índice entre os 39 municípios da região metropolitana da capital paulista. Além disso, uma auditoria realizada pelo Instituto Ayrton Senna colocou Santana como o melhor município do país no desenvolvimento de competências socioemocionais.