TECNOLOGIAS DIGITAIS

Jornada digital: Editora Opet inaugura seu estúdio de produção audiovisual

A Editora Opet inaugurou oficialmente ontem, segunda-feira (13) seu estúdio de produção audiovisual. O estúdio, que foi montado em uma sala especialmente reformada na sede da Editora, em Curitiba, é um elemento estratégico para o projeto de fortalecimento dos nossos sistemas de ensino no ambiente digital. “Optamos por fazer o estúdio aqui, em nossa própria sede, para ganhar agilidade e escala de produção. E trabalhamos com muito cuidado para fornecer todos os recursos necessários à demanda que vai surgir”, explica o coordenador de Tecnologias Digitais da Editora Opet, Luciano Rocha. “Nesse estúdio, vamos produzir peças em todos os formatos: videoaulas, fundamentação teórica em formato de vídeo, transmissões ao vivo para formações, tomadas externas e podcasts.”
Para tanto, a Editora investiu em equipamentos de última geração – câmeras digitais com capacidade de gravação em 4k, ilha de edição, set de iluminação profissional, jogos de cromaqui e fundo infinito, teleprompter, microfones profissionais e isolamento acústico. Além disso, conta com a experiência de um colaborador, João Rodrigo Almeida, que é especialista em tecnologias digitais e de comunicação, além de todos os demais colaboradores das gerências editorial e pedagógica. “Temos, agora, a estrutura e a equipe necessárias a atender a plataforma digital, e podemos investir e crescer ainda mais. Estamos dando um passo importante para colocar a Editora Opet na vanguarda dos sistemas de ensino – e isso vai acontecer em muito pouco tempo”, garante Luciano. Nesta semana, aliás, começam as gravações, com a equipe do Pedagógico, da fundamentação teórica das coleções produzidas pela Editora.
Para o diretor de produto da Editora Opet, Gilberto Soares dos Santos, a construção do estúdio é resultado do engajamento da equipe no projeto que vai colocar a Editora Opet entre as mais avançadas do país no cenário de recursos digitais em educação. “Em termos simbólicos, o estúdio representa a segunda fase do projeto. A primeira foi a de construção da plataforma que vai receber os conteúdos digitais e as novas mídias.” A data final prevista para o “embarque” dos primeiros conteúdos na plataforma é 19 de novembro. A plataforma irá ao ar em pleno funcionamento em meados de dezembro.

Editora Opet no “Educa Ribeirão Preto”!

Nesta semana, nossas equipes comercial e pedagógica estiveram em Ribeirão Preto, um dos municípios mais importantes de São Paulo, participando do “Educa Ribeirão Preto”, promovido pela EDUCA – Excelência em Educação. O evento, que teve como tema “A BNCC, os currículos e os desafios da educação para o século XXI”, reuniu professores e gestores públicos e privados de cerca de 100 cidades do Estado de São Paulo para debates e palestras. E nós estivemos lá com um estande que atraiu a atenção de centenas de pessoas, interessadas em nossas soluções para a área pública.

A professora Magda Milanezi, supervisora do Ensino Fundamental I do município parceiro de Ilha Solteira, foi uma das visitantes. “Fiquei muito feliz em ver a Editora Opet aqui, em um evento tão importante. Nós adoramos o material Sefe. Foi o que escolhemos e com que trabalhamos. E estamos muito satisfeitos com essa opção!”, disse.

A professora Marialba Carneiro é responsável, na EDUCA, pela seleção dos conteúdos apresentados em eventos como o “Educa Ribeirão Preto”. Ela, que já foi presidente da seccional São Paulo da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME-SP), destacou o valor da marca Opet e a consonância dos materiais produzidos pela Editora em relação à BNCC. “É uma honra ter a Editora Opet presente nesse evento, que reúne tantos municípios paulistas, em especial os de menor porte. É um motivo de muito prestigio, especialmente quando vemos um material, do selo Sefe, de tamanha qualidade.”

O gerente comercial da Editora Opet para a área pública, Roberto Costacurta, ficou feliz com os resultados. “Fomos muito visitados. E, com o apoio das equipes comercial e pedagógica, mostramos os diferenciais do nosso material. A partir dos contatos feitos aqui, vamos reforçar nosso trabalho em todo o Estado de São Paulo.”

Uma formação gigante em Santana de Parnaíba!

As atividades levaram 30 formadores da Editora a Santana e foram realizadas em três colégios municipais.
O trabalho envolveu o conhecimento e o aprofundamento didático-pedagógico em relação aos conteúdos do semestre nos vários componentes curriculares.

Na semana que passou estivemos em Santana de Parnaíba, município paulista que é um dos principais parceiros da Editora Opet. Lá, junto com a equipe da Secretaria Municipal de Educação, fizemos a formação semestral de cerca de 800 professores e gestores! As atividades levaram 30 formadores da Editora a Santana e foram realizadas em três colégios municipais.


Formação semestral – Editora Opet/ Santana
de Parnaíba


O trabalho envolveu o conhecimento e o aprofundamento didático-pedagógico em relação aos conteúdos do semestre nos vários componentes curriculares.
As formações, como observa a gestora pedagógica Cliciane Élen, tiveram como encaminhamento didático a abordagem criativa, o que possibilitou aos professores e gestores colocarem a mão na massa! Além disso, os agentes de organização escolar e oficiais administrativos assistiram uma palestra sobre Inteligência Socioemocional, tema estratégico.


Formação semestral – Editora Opet/ Santana
de Parnaíba

O secretário de Educação de Santana, Clecius Romagnoli, resumiu assim o trabalho: “Foi uma formação extremamente importante. Nosso sucesso nos indicadores da educação tem a ver com a formação constante dos professores, e com o conhecimento de novos processos didáticos e metodológicos. A receptividade pelos professores foi muito grande. É a maior que já tivemos em relação a um sistema de ensino.” Em tempo: Santana de Parnaíba foi o município da região metropolitana de São Paulo com maior crescimento do IDEB na última avaliação.

Editora Opet leva proposta de educação humana e cidadã para o RS

A Editora Opet participa, nos dias 23 a 25, em Gramado no “Educação para Transformação”, evento que vai reunir professores, gestores e palestrantes brasileiros e estrangeiros para debater alguns dos principais temas da educação brasileira na sede da FAURGS.

Um modelo de educação humana, cidadã e que aproxima as pessoas do conhecimento e as famílias da escola. Com essa proposta, a Editora Opet – empresa paranaense que é uma das mais tradicionais do país no segmento de sistemas de ensino – está ampliando sua presença no Rio Grande do Sul. Nos dias 23 a 25, estará em Gramado no “Educação para Transformação”, evento que vai reunir professores, gestores e palestrantes brasileiros e estrangeiros para debater alguns dos principais temas da educação brasileira na sede da FAURGS.
Fundada há 26 anos em Curitiba e parte do Grupo Educacional Opet, a Editora Opet atua em todas as regiões do país, atendendo redes públicas de ensino com o selo Sistema Educacional Família e Escola – Sefe e escolas privadas com o selo Opet Soluções Educacionais. Em seu estande em Gramado, a Editora apresentará seus materiais para os dois segmentos.
Parceiros – Entre os municípios que adotam os sistemas de ensino da Editora Opet estão campeões da educação como Sobral (CE), melhor IDEB do país, Santana de Parnaíba (SP) e Fortaleza (CE). “Ao longo dos anos, reunimos uma vasta experiência com a educação. Com materiais de alta qualidade, formações pedagógicas presenciais que são um diferencial e um trabalho que respeita as características de cada região”, observa o gerente comercial da Editora para o segmento público, Roberto Costacurta.
Especificamente na Região Sul, a Opet mantém parcerias educacionais com municípios há muitos anos. “Atualmente, atuamos em várias redes municipais de ensino do Paraná e de Santa Catarina oferecendo materiais para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental.” Entre os parceiros da Editora nos dois Estados estão Chapecó, Vargeão, Braço do Norte, Paranaguá, Irati e Cafelândia.
Em terras gaúchas –
“Agora, estamos ampliando nossa presença a partir de um evento educacional que já é tradicional no Rio Grande do Sul. Acreditamos ter muito a agregar em um Estado que já faz um trabalho importante com a educação.” Ele destaca a aproximação entre as escolas e as famílias, que permeia a proposta pedagógica Opet, e a atualização permanente das coleções e ferramentas pedagógicas segundo as leis que regem a educação brasileira.
Entre os materiais que serão apresentados no estande da Opet no “Educação para Transformação”, em Gramado, estão as coleções “Entrelinhas para Você”, “Caminhos e Vivências” e “Trilhas”, que são carros-chefes no segmento público. “São materiais com uma proposta de trabalho muito rica, que fortalece o processo de ensino aprendizagem e valoriza a criatividades dos professores”, observa Roberto.
Valor – Para o realizador do “Educação para Transformação”, Paulo Ferraz (da Ferraz Eventos), a participação da Editora Opet agrega valor ao evento e à experiência dos participantes. “Teremos representantes de 13 Estados, pessoas que estão em busca de atualização de conhecimentos, de produtos e serviços de qualidade. E, nesse sentido, a Editora Opet oferece qualidade.”
Serviço – O “Educação para Transformação” acontece de 23 a 25 de julho na sede da FAURGS, na Rua São Pedro, 63, Centro, Gramado. Informações sobre o evento podem ser obtidas em https://www.ferrazeventos.com.br/events/educacaoparatransformacao/.

A Editora Opet trabalha para oferecer sempre os melhores materiais didáticos

Em 2020, um de nossos carros-chefes, a Coleção Cidadania para o Ensino Fundamental (Anos Iniciais e Finais), do selo Opet Soluções Educacionais, terá seu Material do Professor reestruturado para facilitar e dinamizar o trabalho. “Atendemos a uma demanda dos professores, de ter em mãos, já no início do ano, todos os bimestres”, explica a nossa gerente editorial, Eloiza Jaguelte Silva. A Coleção foi cuidadosamente revista e traz outras novidades! Confira como ficou a estruturação dos livros:

• Para os Anos Iniciais:
 Livros anuais no formato horizontal.
 Fundamentação geral da coleção e específica de cada componente curricular.
 Quadro com estrutura geral da coleção.
 Quadro com os objetos de conhecimento (BNCC).
 Orientações didáticas com as possibilidades de trabalho.
 Referencial teórico.
 Miniaturas das páginas do livro do aluno com orientações página a página e gabarito de respostas.
• Para os Anos Finais:
 Livros anuais por componente curricular.
 Fundamentação geral da coleção e específica de cada componente curricular.
 Quadro com estrutura geral da coleção.
 Quadro com os objetos de conhecimento (BNCC).
 Mapeamento da BNCC.
 Livro do aluno com orientações página a página e gabarito de respostas.
 Referencial teórico.

Comercial privado Opet: três mil escolas visitadas por ano!

Atualmente, o nome Opet Soluções Educacionais – do selo Opet para o segmento privado – é conhecido em todas as regiões do país, do Rio Grande do Sul ao Amapá. E é adotado por muitas escolas, inclusive por aquelas que são referência em suas comunidades. Como, porém, chegamos até os parceiros? O fechamento de uma parceria, no caso do setor privado, começa com os consultores e representantes comerciais, que “abrem terreno” em seu trabalho de prospecção. Apenas para se ter uma ideia, por ano cada consultor privado Opet visita cerca de 300 escolas! Nesta entrevista, o gerente comercial da Editora para o segmento privado, Klinger Mota, detalha todo esse trabalho e traz as nossas perspectivas de futuro. Confira!

Klinger Mota, gerente comercial da Editora Opet para o segmento privado.

Entrevista a Rodrigo Wolff Apolloni

Quais são as nossas perspectivas para o ano de 2019?
Klinger: Neste primeiro semestre, fizemos 70% do trabalho anual de visitas a novas escolas. Como mantivemos o mesmo número de consultores do ano passado, a ideia é ter o mesmo resultado do ano passado, que foi expressivo. E manter as escolas que já temos como parceiras. No ano passado foram poucas as escolas que deixaram a parceria e, em 2019, queremos que este número seja ainda menor. Em média, cada consultor visita trezentas escolas por ano, e até o momento eles já visitaram mais de duzentas cada um. Isso, em termos numéricos gerais, representa algo como três mil escolas visitadas ao longo do ano pelos consultores Opet Soluções Educacionais. Em três anos, foi algo como nove mil escolas visitadas. E isso, sem dúvida, incomoda a concorrência. Nós, evidentemente, não fechamos contratos em todas as visitas, mas as visitas têm um papel importante. As escolas passam a conhecer a nossa marca, os nossos materiais, atendimento e proposta comercial. Um trabalho que é levado a todas as regiões do Brasil.

Como você percebe a recepção e o conhecimento da marca Opet no segmento privado? Você percebe um reconhecimento de valor, mesmo naquelas regiões em que estamos ingressando agora?
Klinger – Hoje, está mais fácil fazer um trabalho de novos fechamentos de contratos de parceria por conta do trabalho de visitas e apresentação dos anos anteriores. Isso, sem contar o fato de que fechamos parcerias com escolas que são referência em suas regiões. São escolas grandes em termos numéricos ou, então, que têm um trabalho educacional de destaque em suas comunidades. Essas parcerias ajudam muito no fechamento de contratos com novas escolas. É evidente que nós não vendemos para nenhuma escola que possa concorrer diretamente com as escolas que já são parceiras – isto é uma questão ética de que não abrimos mão. Assim, nossa equipe sempre toma o cuidado de prospectar respeitando limites geográficos e de perfil de cada escola.

Para que regiões os materiais do selo Opet Soluções Educacionais, da área privada, estão se expandido?
Klinger – Nós estamos atuando, principalmente, nos Estados em que já atuávamos nos anos passado e retrasado. São áreas em que, por conta da prospecção, criamos condições favoráveis para a expansão. Em termos geográficos, eu diria que nossa maior força está no Nordeste e no Sudeste. No Sul, no momento, estamos atuando com apenas um consultor. No caso do Nordeste, o que verificamos é que, lá, os mantenedores se mostram mais abertos às novidades. Nas regiões Sul e Sudeste, o conservadorismo em relação a novos materiais e ferramentas é um pouco maior – é preciso respeitar as características de cada público. No caso da região Norte, estamos iniciando um trabalho no Estado do Pará, com foco no ano de 2020. E no Centro-Oeste, por enquanto, estamos focando Goiás e Distrito Federal. Onde, aliás, temos uma referência importantíssima, que é o Grupo Colinho de Mãe.

O que as escolas querem?
Klinger – Em uma frase: qualidade e preço baixo. Hoje, já não tem mais material ruim no mercado. Todas as editoras que sobrevivem em meio à concorrência pesada têm materiais de qualidade. A questão, então, é vencer no serviço associado ao produto e não só no produto. Até porque os produtos são muito parecidos, uma vez que são regidos por normas e recomendações oficiais da educação, como a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). E é preciso vencer, também, no preço, oferecendo uma parceria vantajosa para ambas as partes. No caso da Editora Opet, nosso preço é bastante competitivo – não estamos nem entre os mais caros, nem entre os mais baratos -, mas oferecemos um atendimento diferenciado. E, muitas vezes, conseguimos reduzir o preço pela extensão dos contratos.

E em relação aos serviços, no que nos diferenciamos?
Klinger – É interessante reforçar que, quando falamos em serviços, não estamos falando apenas em serviços pedagógicos, que, no caso da Editora Opet, são um diferencial muito relevante. Além dele, porém, oferecemos serviços de Marketing e Faturamento que dão um suporte importante para as escolas. E também olhamos com muita atenção para eventuais demandas das escolas em relação à renegociação de dívidas. Estamos sempre à disposição, somos sensíveis às questões e flexíveis. E, em termos de ferramentas, de novidades editoriais, a Editora trabalha incessantemente. Um exemplo é a nova plataforma da Editora Opet, que será entregue aos parceiros em 2020. Ela contempla muitas novidades, conteúdos diferenciados, minicursos e microlearning. Em síntese: nós devemos oferecer mais e valorizar os nossos parceiros. E estamos fazendo isso.

Fortaleza dá um salto de qualidade na educação pública municipal. E a Editora Opet faz parte dessa história!

Fortaleza, capital do Ceará, anunciou na última semana uma grande conquista em sua educação pública. Em seis anos, de 2012 a 2018, o município saltou 81 posições no ranking cearense de alfabetização, passando da última posição (184ª) para a de número 103. Uma evolução importante, muito mais em um Estado que, nos últimos anos, promoveu grandes avanços na educação a partir de iniciativas como o Programa de Alfabetização na Idade Certa (PAIC) e viu municípios como Sobral assumirem grande protagonismo na educação. Sobral, que é parceiro da Editora Opet na Educação Infantil e no Ensino Fundamental, ocupa a primeira posição no ranking do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, o IDEB, com um índice de 9,1.
Para a Editora Opet, os avanços na educação em Fortaleza mostram, em primeiro lugar, a seriedade com que o tema é tratado pelos gestores municipais. Demonstra, também, o sucesso da parceria entre o município e a Opet. “Somos parceiros desde 2013. Atendemos o segundo ano dos Anos Iniciais com materiais didáticos e formações pedagógicas com os professores, além de fazer as visitas regulares de acompanhamento técnico pedagógico nas escolas”, explica o supervisor regional para o Estado, Francisco Glaylson Rodrigues. Ele lembra que o segundo ano representa um momento crítico para a alfabetização, que é o foco do ranking que envolve os 184 municípios cearenses.
A Editora Opet, por meio do selo educacional Sefe, fornece os materiais da Coleção “Caminhos e Vivências” para todos os professores e estudantes. As formações mensais, que contemplam a utilização desses materiais, envolvem os professores e os gestores pedagógicos. Esse trabalho é feito por uma equipe de dez profissionais da Editora e tem o suporte da matriz, em Curitiba.
Além disso, ao longo do ano a equipe pedagógica Opet faz inúmeras visitas a escolas da rede consideradas prioritárias por suas características. “Nessas escolas, fortalecemos nossa ação propondo atividades e encaminhamentos, cooperando e dando suporte às equipes”, observa Glaylson. “Assim, potencializamos o trabalho do professor com o uso dos materiais.”
Mensalmente, Glaylson também se reúne com a gerência de formação da Secretaria de Educação para fazer o planejamento e para ter um feedback e fazer uma avaliação do trabalho pelos gerentes. “Dessa forma, conseguimos monitorar o trabalho e fazer os ajustes necessários.”
Os materiais – Glaylson destaca o valor dos materiais para o sucesso da parceria com Fortaleza. “Os livros da Coleção Caminhos e Vivências são muito bem estruturados, com uma fundamentação teórica muito consistente. Eles proporcionam a formação de sujeitos críticos, reflexivos, que dão suporte para o trabalho do professor mediador. Esse professor acredita no diálogo entre o alfabetizar e o letramento e os vê como processos indissociáveis e essenciais para a alfabetização verdadeira.”
Glaylson acredita que, em pouco tempo, Fortaleza será uma referência para as outras capitais e cidades nordestinas no tema alfabetização. No ano passado, Fortaleza passou a ocupar o 1º lugar na taxa de sucesso escolar das cinco maiores redes municipais das capitais, com 96%, à frente de São Paulo (95,8%), Belo Horizonte (93,7%), Manaus (92,9%) e Rio de Janeiro (91,7). A taxa de reprovação também caiu de 4,4%, em 2017, para 3,4%, no ano passado.

Colaboradores da Editora celebram o Dia do Brincar

Na terça-feira (28), os colaboradores da Editora viveram uma tarde diferente. A partir de uma iniciativa do Pedagógico, houve uma celebração do Dia Internacional do Brincar, data que faz parte do calendário do UNICEF desde o ano 2000. Para a comemoração, o auditório da Editora foi transformado em uma sala de jogos, com brinquedos tradicionais – como jogos de tabuleiro, cartas e quebra-cabeças – e eletrônicos. A equipe foi dividida em grupos que brincaram por trinta minutos.

A atividade foi organizada pela assessora pedagógica Milena Nichel, responsável pelas formações da área de Educação Física. “Pensamos em fazer esse momento para comemorar a data e para liberar a criança que existe dentro de cada colaborador”, explica Milena. “E também para fortalecer a interação entre as pessoas.” Outros aspectos relevantes do brincar são o estímulo à criatividade e o compartilhamento de ideias entre colaboradores de diferentes setores, elementos essenciais em uma empresa que trabalha com educação.
Milena lembra que o brincar tem uma enorme importância no contexto da educação – “brincar é aprender”, resume –, e que jogos e brincadeiras também fazem parte do trabalho pedagógico da Editora Opet com os parceiros públicos e privados. Entre os jogos compartilhados com os professores nas formações estão o tangram, o xadrez e o betes.

Em primeira mão: as novidades editoriais Opet para 2020

Fazendo uso de uma licença quase poética, é possível afirmar que o Editorial da Editora Opet vive três momentos ao mesmo tempo. O primeiro é o da atualização das coleções e ferramentas que colocamos à disposição dos professores, gestores e famílias parceiras Opet. O segundo diz respeito ao desenvolvimento de novos materiais que atendam a dinâmica do mercado educacional. E o terceiro é o de olhar para um futuro próximo a partir de um trabalho de inteligência de mercado que nos antecipe às demandas.

“Estamos trabalhando em um ritmo acelerado para responder todas essas questões”, explica Eloiza Jaguelte Silva, gerente editorial. Ela destaca, nesse processo, o desenvolvimento dos novos materiais. Atualmente, são várias as frentes de trabalho, que envolvem os Anos Iniciais e Finais do Ensino Fundamental, a Educação Infantil, a Gestão da Educação com foco na Avaliação e as ferramentas educacionais digitais. A seguir, vamos destacar cada um desses novos produtos.

Educação Infantil

Nova Coleção: “TRAÇOS, LETRAS E BRINCADEIRAS”

Atendendo à demanda de parceiros que utilizam as coleções de Educação Infantil por materiais complementares de caligrafia – que promovem a motricidade fina e o desenvolvimento cerebral das crianças –, em 2020 a Editora Opet vai lançar o livro “Traços, letras e brincadeiras”.

“Esse material foi elaborado considerando que o trabalho com a leitura e a escrita na Educação Infantil deve promover situações significativas de imersão na cultura letrada”, explica Eloiza. Para isso, as atividades que exercitam a habilidade manual e as que apresentam as letras do alfabeto têm como ponto de partida textos da cultura popular, como parlendas, quadrinhas, trava-línguas, adivinhas e cantigas, proporcionando um contexto lúdico e significativo para a participação da criança. “A cada página, o material traz uma nova atividade, um novo desafio e uma nova aprendizagem”, observa.

Novas bolsas para os materiais da Educação Infantil – Coleções “Entrelinhas para Você” e “English Party”

Quem utiliza materiais didáticos sabe o valor de uma bolsa de qualidade, que seja ao mesmo tempo prática e capaz de proteger os livros. Pensando nisso, a equipe editorial idealizou as novas bolsas dos materiais das duas coleções. Elas são produzidas com material leve e resistente, de cor vibrante e que possibilita a identificação de cada material da coleção. “É um produto sempre esperado pelos alunos e professores!”, diz Eloiza.

Ensino Fundamental – Livro do Professor da Coleção Cidadania – Anos Iniciais e Anos Finais

Para o ano letivo de 2020, os professores terão em mãos o Material do Professor da Coleção Cidadania para o Ensino Fundamental – Anos Iniciais e Anos Finais com nova formatação e soluções estratégicas para facilitar e dinamizar o trabalho do dia a dia.

“Com a nova estruturação do material, atendemos a uma demanda dos professores de ter em mãos, já no início do ano, todos os bimestres, tornando o trabalho de planejamento anual mais assertivo e eficiente”, explica Eloiza. “É, sem dúvida, um aprimoramento do material impresso que deve atender às expectativas dos professores e do mercado.” Como o material foi estruturado:

  • Para os Anos Iniciais:
  • Livros anuais no formato horizontal.
  • Fundamentação geral da coleção e específica de cada componente curricular.
  • Quadro com estrutura geral da coleção.
  • Quadro com os objetos de conhecimento (BNCC).
  • Orientações didáticas com as possibilidades de trabalho.
  • Referencial teórico.
  • Miniaturas das páginas do livro do aluno com orientações página a página e gabarito de respostas.
  • Para os Anos Finais:
  • Livros anuais por componente curricular.
  • Fundamentação geral da coleção e específica de cada componente curricular.
  • Quadro com estrutura geral da coleção.
  • Quadro com os objetos de conhecimento (BNCC).
  • Mapeamento da BNCC.
  • Livro do aluno com orientações página a página e gabarito de respostas.
  • Referencial teórico.

PROGRAMA inDICA

“A Editora Opet desenvolveu o Programa de Gestão da Educação – inDICA para avaliar os alunos de 5.º e 9.º anos do Ensino Fundamental em Língua Portuguesa e Matemática”, explica Eloiza. O objetivo é diagnosticar se os alunos desenvolveram as habilidades esperadas para cada componente curricular: na totalidade, parcialmente ou não desenvolveram. A avaliação externa oferece informações necessárias para auxiliar a equipe da escola na definição de um projeto de intervenção pedagógica para elevar os níveis de desempenho dos alunos. Com esse programa, a escola pode otimizar o esforço de ensino com estratégias direcionadas para cada aluno e nível de aprendizagem.

Ferramentas digitais

A Editora Opet já conta com uma plataforma digital – Opet Virtual –, que está sendo aprimorada para atender as demandas dos parceiros educacionais. A Editora, aliás, iniciou um processo de fortalecimento de sua equipe e de suas ferramentas digitais – a ideia é, em pouco tempo, colocar o nome Opet na vanguarda, com ferramentas e formas de interação digital inovadoras. “Estamos trabalhando com muito empenho nesse segmento para que, em breve, possamos oferecer soluções diferenciadas”, diz Eloiza. “É um processo de transformação do nosso próprio olhar, que, com certeza, trará frutos muito importantes para a educação.”

Santana de Parnaíba: uma parceria muito especial

No início da tarde desta quarta-feira (15), nosso estande na BETT Educar foi brindado com a presença de um parceiro muito especial, o secretário municipal de Educação de Santana de Parnaíba (SP), professor Clécius Romagnolli dos Santos. Ele destacou o valor da parceria e o crescimento mútuo. “Nossa parceria com a Editora Opet é um grande sucesso. Ela é construída em vários aspectos, começando pela formação dos professores, que é feita de acordo com as nossas necessidades específicas. Não é algo que ‘vem pronto’, mas que é construído em conjunto. Isso é muito importante.” A parceria com a Editora contempla todos os estudantes da rede municipal, da Educação Infantil ao Ensino Médio (em Santana, o Ensino Médio é municipalizado).

Um pouco de descontração: o secretário Clécius e a superintendente da Editora Opet, Cristina Swiatovski, nos balanços montados dentro do estande da Editora Opet na BETT Educar.


Para a Editora Opet, é um orgulho ser parceiro de um município como Santana de Parnaíba. Apenas para se ter uma ideia, em 2017 Santana registrou o maior crescimento do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) no Estado de São Paulo – fantásticos 32% em relação à avaliação anterior, de 2015 -, e tem o maior índice entre os 39 municípios da região metropolitana da capital paulista. Além disso, uma auditoria realizada pelo Instituto Ayrton Senna colocou Santana como o melhor município do país no desenvolvimento de competências socioemocionais, contempladas pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e que são muito importantes para o desenvolvimento integral dos estudantes.

Entrevista do secretário Clécius ao canal de vídeos da Editora Opet.

Um fator que contribui para esses resultados é a aceitação dos professores em relação aos materiais da Editora Opet (do selo educacional Sefe). Os materiais são construídos a partir de uma abordagem focada na educação humana e cidadã. “A aceitação dos professores em relação aos materiais e às formações Opet é fantástica. Poucas vezes vi algo assim no município”, observou o secretário Clécius. Para a Editora Opet, é uma honra fazer parte dessa história!